Adivinhas - Lote 4/8

10 Adivinhas



"É uma caixinha
de bem-querer,
não há carpinteiro
que a saiba fazer."

"Que é, que é,
semearam-se tábuas,
nasceram papéis,
colheram-se tonéis."

"Tão amiga sou do trabalho,
que nem sobre camas de flores
ociosamente descanso,
sem ofendê-las as piso,
e sem feri-las as pico.
De um mar de belezas sou pirata,
madrugo para roubar
as pérolas da aurora,
e no meio dos campos
publicamente furto,
mas por ladra nenhum juiz
até agora me condenou.
Sem fogo nem alambique,
industriosa alquimista,
faço uma doce quinta-essência,
sou amiga da paz e do silêncio,
e para crédito da clemência
e não posso irar sem dano,
porque, quando me vingo,
morro."

"Sou remédio e sou regalo
de toda a casta de gente,
porém tenho um certo tempo,
que sou mais conveniente,
vegetal ou mineral,
me faz no mundo existir,
sem um dos quatro elementos
de pouco posso servir.
Trago à memória das gentes
da cova a triste pintura,
mas recebendo em mim corpos,
não sou deles sepultura."

"Um poço de ferro,
com valado de linho,
toca-lhe, toca-lhe,
com um pauzinho."

"Sustento a custosa vida
de numerosos mortais,
mas inda de muitos mais
sou rigorosa homicida.
Na terra onde fui nascida,
não exerço os meus rigores,
presa sirvo a meus senhores,
e que sou melhor se crê
quando estou no estado em que
as mais coisas são piores."

"Venho vestido de frade,
mas nunca faço oração,
branco de neve é meu hábito,
é cor de oiro o coração."

"Que é, que é,
que nasce nuns pauzinhos,
redondinho como bugalhinhos
e é tão aternegado
que até aos pés é calcado?"

"Curcobico não tem bico,
nem bico nem come,
mas a mãe do curcobico,
tem bico e come."

"Que é, que é,
que nasce na deveza,
com as mãos atadas na cabeça?"

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE