Opinião de Leitura
Carpinteiros, Levantai Alto o Pau de Fileira e Seymour: Uma Introdução Carpinteiros, Levantai Alto o Pau de Fileira e Seymour: Uma Introdução

Autor: Salinger, J. D.

Leitor: Paulo Neves da Silva

Opinião

Dois contos em torno de uma mesma personagem, Seymour, retratado pelo seu irmão, Buddy. No primeiro, o relato divertido da participação de Buddy no casamento do Seymour, onde este não comparece. No segundo, a tentativa de Buddy de descrever Seymour num estilo de se focar em detalhes e de fazer vários tipos de divagações acerca do irmão e dele próprio, num aparento fracasso de conseguir fazer uma apresentação formal do mesmo.

Estes dois contos são parte de um conjunto maior que descreve episódios em torno da família Glass (como «Franny e Zooey»), com sete irmãos, todos eles dotados de uma inteligência acima da média e que participaram durante vários anos num programa de rádio em torno de perguntas e respostas a crianças sobredotadas.

Em «Carpinteiros, Levantai Alto o Pau de Fileira», o relato da ida de Buddy ao casamento de Seymour onde mais ninguém da sua família pode comparecer. Um encontro forçado dentro de um táxi provoca um diálogo e observações narradas de forma sublime, com um final onde o leitor se apercebe da personalidade extremamente rica e complexa de Seymour, que nunca aparece no romance, faltando ao seu próprio casamento.   

Em «Seymour - Uma Introdução» Buddy descreve as qualidades de Seymour no campo da literatura e particularmente no da poesia, e o contraponto de crítica e aconselhamento que o irmão fazia relativamente aos seus escritos. Entre muitas considerações e divagações de todo o tipo, descreve também cada parte do corpo de Seymour e as suas habilidades em termos de desportos e jogos, com vários relatos de episódios passados nas suas infâncias. Pelo meio denota-se a procura da sabedoria que os preocupa a ambos. Sem ser propriamente enfadonho, porque salpicado de muitos momentos de boa prosa e num estilo introspectivo que cativa o leitor, o romance/biografia misturado com auto-biografia segue até ao fim sem aparentemente ter qualquer objectivo mas fazendo jus ao seu título.

Concluindo, um par de textos muito bem escritos e que valem precisamente por isso, mas talvez a evitar para quem não conheça ou não tenha lido ainda nada deste autor, recomendando-se a leitura prévia de «À Espera no Centeio» ou «Nove Contos», sob pena de esta ser uma leitura um pouco frustrante por estarmos perante um universo muito próprio que exige alguma iniciação ou baptismo com uma leitura prévia de um livro mais completo.

Facebook

Inspirações

Ter ou Ser

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE