Opinião de Leitura
Memorial do Convento Memorial do Convento

Autor: Saramago, José

Leitor: José Trindade

Opinião

   «Para a forca hia un homem: e outro que o encontrou lhe dice: Que he isto senhor fulano, assim vai v. m.? E o enforcado respondeo: Yo no voy, estes me lleban...» - Texto do Padre Manuel Velho e que serve de (feliz) introdução ao livro de José Saramago.
   Li outra vez o livro! Desta vez com mais calma e vagar - lembro-me que estava em Itália quando o li pela primeira vez em 1982...
   E reparo que o conto do enforcado reflete na perfeição a tónica que o Autor lhe quis dar, ou seja, o HUMOR...
   O humor trágico, o humor cómico, o humor trágico e cómico. Mas sempre acutilante e verdadeiro - sobretudo quando fala na (rica) vida dos frades e seus acólitos...
   E o humor quando, por exemplo, se refere a "S. Cristóvão, santo de grande valimento em casos de peste, epidemias, raios, incêndios e tempestades, inundações, más viagens e tremores de terra, em CONCORRÊNCIA com Santa Bárbara e Santo Eustáquio, QUE TAMBÉM NÃO SÃO PECOS NESTAS PROTECÇÕES..."
   Depois a situação geográfica! Vivi muitos anos em Sintra, percorri nos tempos de juventude todos os sítios por Saramago apontados, e notei que são exactos, precisos... fazendo lembrar sem o querer que não se trata de um romance da vida real mas da vida real em romance.
   Mas o que mais me impressionou, e já li muitíssimos livros, foi o AMOR... O AMOR entre um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes...
   ... mas que o poder maior era o saber AMAR VERDADEIRAMENTE!
   Dois capítulos inteiros, na sua escrita quase sem pontos finais e vírgulas a marcar o ritmo do diálogo, são-lhe dedicados. E no último capítulo, diz "Durante nove anos, Blimunda (a Sete-Luas) procurou Baltasar (o Sete-Sóis). Conheceu todos os caminhos do pó e da lama, a branda areia, a pedra aguda, tantas vezes a geada rangente e assassina, dois nevões de que só saiu viva porque AINDA não queria morrer."...
   Porque tinha que o ver, nem que fosse pela última vez!...
   Que AMOR é este?! Puro, desinteressado, quente... que arrosta com todas as dificuldades para encontrar o SEU AMOR... e por vezes penso que, se foi assim, já não o é! E tenho pena, imensa pena...

Comentários

   «Era uma vez um rei que fez promessa de levantar um convento em Mafra. Era uma vez a gente que construiu esse convento. Era uma vez um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes. Era uma vez um padre que queria voar e morreu doido. Era uma vez...»

Facebook

Inspirações

O Tamanho do Homem

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE