Opinião de Leitura
Memorial do Convento Memorial do Convento

Autor: Saramago, José

Leitor: Miguel Chaiça

Opinião

Um romance histórico e inovador, cuja personagem principal é o Convento de Mafra. O escritor aparta-se da descrição engessada, privilegiando a caracterização da época. Segue o estilo: era uma vez um rei que fez uma promessa de levantar um convento em Mafra... era uma vez a gente que construiu esse convento e que sofreu que nem animais... era uma vez um soldado maneta e uma mulher que tinha poderes... era uma vez um padre que queria voar e morreu doido. Tudo era uma vez... Logo a começar por D. João V, que irá uma noite ao quarto da sua mulher, a rainha D. Maria Josefa, que tendo chegado há mais de dois anos da Austria, não havia maneira de dar infantes à coroa portuguesa, e vai daí (...) depois a sobressair, essa espantosa personagem, Blimunda, ao encontro de Baltasar. Milhares de léguas andou Blimunda, e o romance correu mundo. Para a nossa memória, ficam duas personagens inesquecíveis a passearem o seu amor por um Portugal violento e inquisitorial dos tristes tempos de D. João V.
Um romance soberbo, que e devido à escrita tão característica de Saramago não permite desconcentrações, mas de leitura fácil, devido à excelência do mesmo, e ao terminar, sentimos uma vontade e um desejo ardente de o ver começar.
Talvez o melhor romance da literatura moderna portuguesa.

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE