Opinião de Leitura
A Morte de um Apicultor A Morte de um Apicultor

Autor: Gustafsson, Lars

Leitor: Paulo Neves da Silva

Opinião

A «Morte de um Apicultor» é um romance construído à volta das notas e apontamentos pessoais de uma pessoa condenada por um cancro, nos últimos meses da sua vida. Embora essa situação esteja sempre presente, os escritos da personagem principal, um ex-professor divorciado com perto de quarenta anos, que se retirou para uma casa no campo (onde trata das suas abelhas, sua única actividade laboral e que não lhe toma muito tempo, cada vez mais desleixado com o avançar da doença), são escritos soltos espalhados por três cadernos que reflectem não apenas o sentir e o não conformismo relativamente à doença, mas também sucessivas recordações e reflexões sobre a sua vida, com vários episódios relatados pelo próprio, momentos singulares e dispersos descritos com uma profundidade e lucidez que só a distância do tempo permite a sua verdadeira consciencialização, além de relatos de exemplos de vida de outras pessoas que o marcaram imenso.

Muitas dúvidas assaltam o ex-professor, algumas certezas também, sob a forma de pequenas dissertações, além de um insólito mas bastante original conto intitulado «E Se Deus Acordasse», que é o culminar do afastamento de toda a dor do mundo, física e espiritual, ditada sobretudo pelas normas da sociedade, particularmente sentida pelo ex-professor não só por sempre ter sido um homem um pouco anti-social e distante da sociedade, mas também pelo aumentar das dores derivadas da sua própria doença.

É um retrato um pouco triste mas recheado de pequenas pérolas que leva o próprio leitor a reflectir por diversas vezes, além do próprio prazer de saborear pequenas histórias muito bem contadas que divertem e comovem, sem entrar no sentimentalismo um pouco banal (com todo o respeito que tenho pelo sofrimento das pessoas nessas situações), que por vezes os romances com personagens com doenças terminais apresentam, e mostra de forma honesta a revolta calada de um homem que não quer compartilhar a sua dor de forma activa com a sociedade, e que tenta, um dia após o outro, viver a sua vida, sempre com o lema «não nos rendemos; apenas recomeçamos».

Com uma escrita bastante cuidada, é um livro que se lê num ápice, pela diversidade sucessiva dos pequenos escritos com que o leitor se vai sucessivamente deparando, tentando descortinar o máximo do pensamento e experiência de vida do ex-professor que, um dia, resolveu cortar (quase) todas as amarras da sociedade.

Facebook

© Copyright 2003-2018 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE