Actualidades: Justiça

23 Citações

>>

Barreto , António

Como é sabido, os justiceiros não fazem justiça. Mas é a sede de justiça que faz os justiceiros

Público / 20040502

Barreto , António

Só ama e preza a liberdade quem acredita na justiça

Público / 20040328

Pires de Lima , Joaquim

Em democracia, os cidadãos em geral estão muito mais preocupados com a injustiça secreta do que com o segredo de justiça

Público / 20040208

Moreira , Vital

O pior que pode suceder no campo da justiça é a insegurança sobre se determinada conduta constitui ou não crime

Público / 20040120

Moreira , Rui

Muitas vezes preferimos a impunidade à autoridade democrática, porque confundimos esta com o autoritarismo, não compreendendo que desta forma, e sem regras, estamos a permitir uma nova forma de ditadura, a do mais forte contra o mais fraco, a lei da selva

Diário de Notícias / 20040113

Miguel Tavares , João

Um bom advogado é capaz de absolver um culpado, mas jamais permitirá a condenação de um inocente. Se permitir, é porque não é bom

Diário de Notícias / 20031104

Sousa Santos , Boaventura

O risco da mediatização da justiça é uma justiça incomunicável nos seus próprios termos

Visão / 20031030

Sousa Tavares , Miguel

A PIDE também escutava, mas, ao menos, não publicava as escutas

A propósito do conhecimento público, através da Imprensa, do conteúdo de escutas telefónicas feitas no âmbito do processo Casa Pia
Público / 20031024

Costa , Artur

Todo o poder, incluindo o judicial, deve ser secularizado até às últimas consequências. Mas há um perigo: o de toda a gente pensar que pode dizer, irresponsavelmente, o que lhe vem à cabeça ou o que lhe parece sobre problemas cuja solução está muito longe de ser evidente, ou sem ter todos os pressupostos em que deve assentar uma opinião fundada e de boa-fé. Se os juristas, de forma geral, e os magistrados, de forma especial, não podem limitar-se a ser puros técnicos, também os "leigos" não podem limitar-se a opinar de acordo com uma espontaneidade impressionista. Cai-se no reino das evidências profanas, ou seja, na mais pura demagogia, muitas vezes alimentada pelos próprios profissionais, consoante as conveniências

Jornal de Notícias / 20031002

Vitor Malheiros , José

A divulgação da lei e dos métodos e critérios concretos da administração da justiça são responsabilidades deontológicas dos operadores judiciais - da mesma maneira que penso que os jornalistas, os médicos ou os cientistas têm o dever de explicar o que fazem, porque o fazem e de discutir com transparência a prática profissional da sua profissão. É evidente que existem actos na justiça que devem ser envolvidos em segredo, mas isso não pode ser uma desculpa para a opacidade geral. Mais: a independência e autonomia das magistraturas só são admissíveis se existirem a par de uma constante e zelosa auto-regulação e de uma prática de grande transparência

Público / 20030923
>>
 

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE