José Tolentino Mendonça

Portugal
n. 15 Dez 1965
Padre/Teólogo/Poeta

19 Textos



A Rotina não Basta ao Coração do Homem (1)

A rotina começa por ser um esforço de regularidade nos vários planos da existência, esforço que, temos de dizer, é em si positivo. A vida seria impossível se o eliminássemos de todo. As rotinas têm u...
A Mística do Instante

Viver em Estado de Amor (2)

Respirar, viver não é apenas agarrar e libertar o ar, mecanicamente: é existir com, é viver em estado de amor. E, do mesmo modo, aderir ao mistério é entrar no singular, no afetivo. Deus é cúmplice d...
A Mística do Instante

O Amor é o Caminho que nos Leva à Esperança (3)

O amor é o caminho que nos leva à esperança. E esta não é uma espécie de consolação, enquanto se esperam dias melhores. Nem é sobretudo expectativa do que virá. Esperar não significa projetar-se num ...
A Mística do Instante

A Nossa Maior Crueldade é o Tempo (4)

A nossa maior crueldade é o tempo. Como um fabricante de armadilhas desajeitado que acaba sempre prisioneiro das engrenagens que produz, também nós inventamos o tempo e nunca temos tempo. Os nossos r...
A Mística do Instante

Controlar a Vida a 360 Graus (5)

Vivemos numa sociedade dominada cada vez mais pelo mito do controlo. E o seu postulado dogmático é este: a receita para uma vida realizada é a capacidade de controlá-la a 360 graus. Não percebemos at...
A Mística do Instante

Não Será Tempo de Voltarmos aos Sentidos? (6)

Não somos apenas o nosso corpo, estamos também integrados num corpus social, que solicita, expande e reprime a nossa sensibilidade. Basta ouvir aquele que foi o maior teórico da comunicação do século...
A Mística do Instante

Estranho Sentimento, a Inveja (7)

Estranho sentimento, a inveja. E, contudo, tão infiltrado nas relações humanas, tão abrasivo da vida interior, tão capaz de fazer em cacos ambientes (familiares, de trabalho, de amizade). Muitas veze...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Sabemos o que é um Amor? (8)

Será que sabemos o que é um amor? T. S. Eliot trabalhou oito anos como empregado bancário no Lloyds, em Londres. Passava os dias no gabinete subterrâneo que lhe estava atribuído, sentindo o tempo int...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Atravessar a Própria Solidão (9)

A cultura contemporânea deixou de preparar-nos para a solidão. Na maior parte das vezes, essa é uma aprendizagem que temos de fazer em cima dos próprios acontecimentos ou na sua dolorosa ressaca, e d...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

O Aqui e o Agora (10)

Passamos pelas coisas sem as habitar, falamos com os outros sem os ouvir, juntamos informação que nunca chegamos a aprofundar. Tudo transita num galope ruidoso, veemente e efémero. Na verdade, a velo...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

O Custo do Nosso Amor (11)

Torno muitas vezes, mesmo em pensamento, a uma cena do fílme-testamento de Andrei Tarkovsky, O Sacrifício (Offret, 1986). No dia do aniversário de Alexander, o protagonista da história, o pres...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Os Amigos Revelam-se (12)

Pode ser esclarecedor recordar que o termo latino para amizade, amicitia, deriva da raiz am, que no latim popular designa «mãe» (amma) e «ama» (mama). A etimologia da amiz...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

A Forma de não Desistir (13)

Parece um verbo idiota, este contrabalançar. Não seria mais correto pensar que as coisas simplesmente são ou não são e deveriam aspirar por todos os meios a essa clareza, ponto final? Contrabalançar ...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Avizinhar-se do Silêncio (14)

Creio que é absolutamente urgente revisitarmos com outro apreço os territórios dos nossos silêncios e fazermos deles lugares de troca, de diálogos, de encontros. O silêncio é um instrumento de constr...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

A Vida Será uma Aventura Fecunda (15)

A nossa vida está carregada de coisas. Demasiadas coisas. Obstáculos que se veem e que não se veem, mas que nos fazem caminhar esmagados pelo seu peso. Com o passar do tempo urdimos em torno da vida ...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Dar ao outro aquilo que não se Tem (16)

É bastante fugidia, mas ao mesmo tempo cheia de sugestões para um itinerário interior, a frase de Jacques Lacan: «O amor é dar ao outro aquilo que não se tem.» Dir-se-ia, à primeira vista, que amar é...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Quem Precisa de Ajuda também Ajuda (17)

As nossas sociedades são ainda muito refratárias, perdidas entre ocultações incompreensíveis e silenciamentos decretados nem que seja pela indiferença. Pensemos no véu de invisibilidade que estendemo...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Mais Solitários do que Supomos (18)

À força de estarmos conectados, numa disponibilidade indistinta e sem horário, acabamos por nos desconectar das pessoas a quem mais queremos. O resultado é este: ficamos mais próximos dos desconhecid...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas

Trazer uma Imagem de Amor dentro de Si (19)

Isto é bem claro na história de pessoas que resistem a sofrimentos inimagináveis. Por exemplo, uma pessoa que consegue não ser completamente aniquilada num campo de concentração ou um prisioneiro pol...
O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas


Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE