Joaquim Pessoa

Portugal
n. 22 Fev 1948
Poeta

A Tua Boca

A tua boca. A tua boca.
Oh, também a tua boca.
Um túnel para a minha noite.
Um poço para a minha sede.

Os fios dormentes de água
que a tua língua solta num grito cor-de-rosa
e a minha língua sorve e canta
e os meus dentes mordem derramando a seiva
da tua primavera sem palavras
o poema inquieto e livre que a tua boca oferece
à minha boca.

As loucas bebedeiras de ternura
por essa viagem até ao sangue.
Os beijos como fogueiras.
As línguas como rosas.

Oh, a tua boca para a minha boca.

Joaquim Pessoa, in 'Os Olhos de Isa'
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Inspirações

Amor Inexplicável

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE