Frei António das Chagas

Portugal
25 Jun 1631 // 20 Out 1682
Franciscano/Poeta

A uma Moça Vendendo Camoezas

Para a feira vai Luisa
co seu balaio à cabeça,
todo enramado de louro
e cheio de camoezas.

Leva saia de cilício,
também jubão branco leva,
que serve o jubão de branco
onde amor atira as flechas.

Sobre os dedos pendurados
levava os punhos da renda;
tão valentona caminha
que treme o bairro de vê-la.

Lá no meio do Rossio
levanta a voz mui serena
como se aprendera solfa:
- Eu já tenho camoezas!

Frei António das Chagas, in 'Antologia Poética'




Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE