António Forte Salvado

Portugal
n. 20 Fev 1936
Poeta/Ensaísta

12 Poemas



É Noite, Mãe (1)

As folhas já começam a cobrir/ o bosque, mãe, do teu outono puro.../ São tantas as palavras deste amor/ que presas os meus lábios retiveram/ pra colocar na tua face, mãe!.../ / Continuamente o bosque...

Amizade (2)

Uma criança muito suja atira pedras a um cão. O cão / não foge. Esquiva-se e vem até junto da criança/ para lhe lamber o rosto./ / Há, depois, um abraço apertado, de compr...

A Eterna Ausência (3)

Eu aguardei com lágrimas e o vento/ suavizando o meu instinto aberto/ no fumo do cigarro ou na alegria das aves/ o surgimento anónimo/ no grande cais da vida/ ...

Nostalgia (4)

A pequena flor/ só que além nasceu/ sonhou ser maior:/ nada lhe valeu.../ / Na cova esquecida,/ sol que desejou/ não a bafejou,/ bastarda da vida.../ / E era flor ou gente?/ Esquecida imperfeita/ num...

Perder (5)

Perder é começar. A minha vida/ foi movimento em cerne opaco e frígido.../ E quando sei que este momento eterno/ em mim percorre sulcos, veias, sonhos,/ outro momento abraça-me o porvir —/ e desconhe...

A Poesia (6)

Difícil, estreita passagem,/ força quente perscrutada,/ corpo de névoa, de imagem,/ com sulcos de tatuagem,/ voz absoluta escutada.../ / Destino de aranha, tece/ com fios vários da vida/ alegria se a...

Os Amantes (7)

Encheram profunda taça e envolveram-se em fervor./ Ficou-lhes na boca — presa ao crescente desejo/ de mais beberem, de mais conhecerem — o sabor/ da outra Vida maior, onde os levara o ensejo/ de ultr...

Resposta (8)

Alma: não tiveste um lugar. Assim,/ te foste ao reino prometido, e dobras-te/ agora em quanta solidão venceste,/ impelida num mundo de retorno./ / Nem a razão expectante permitiu/ o maior pensamento ...

Memória (9)

I/ / Na cristalina, líquida presença,/ crescente lua no abismo enquanto/ o mar se cala, desconheço a margem/ onde me espera no desejo/ esguio do poente a deusa branca.../ / À ínfima visão dum lírio e...

Preso ao Meu Destino (10)

E preso ao meu destino eu principio/ onde um pequeno sol por entre as árvores/ perscruta o chão./ Ávido enfim de azul,/ meu grito vive a ponte que o abismo/ há muito...

E o Amor... (11)

E o amor é então todo o longínquo/ ardor? O à espera eterno e a solidão/ que nele nasce e dele vai até/ mais não ser que o relembrar anterior?/ / Ah, mas se o amor fosse tudo em si.../ A lágrima e o ...

Natal (12)

Que nos trazes a não ser / lágrimas cada vez mais,/ natal eterno a nascer / de outros natais... / Ligeira esperança que toca/ os nossos olhos molhados/ e o sangue da nossa boca, / amordaçados... / / ...


Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE