António Manuel Couto Viana

Portugal
24 Jan 1923 // 8 Jun 2010
Poeta/Ensaísta

7 Poemas



Natal cada Natal (1)

Quando na mais sublime dor,/ A mulher dá à luz,/ Há sempre um Anjo Anunciador/ A murmurar-lhe ao coração — Jesus!/ / Cada criança é o Céu que vem/ Pra nos remir do pecado/ E as palhas d’oiro de Belém...

Dezasseis Anos, Talvez (2)

Dezasseis anos, talvez./ Vejo-a, no café, cada manhã,/ A folhear, atenta, um compêndio de inglês,/ Com um perfume a Escola e a maçã./ / Não me canso de a olhar. Às vezes, olha/ (Um velho!), num desvi...

É Tempo de Natal (3)

É tempo de Natal. Exibe-se um pinheiro, / Com lâmpadas de cor, sobre o balcão. / Tem, também, pendurados, a isca do dinheiro / E flocos finos de algodão. / / Nas férias, foge a freguesia / Do final d...

Natal Tão Pouco (4)

Nasceu em Belém, ou Nazaré/ (A nova teoria),/ Este que nos é/ O Pai-Nosso em cada dia?/ / Que importa onde nasceu,/ Se num presépio, se num leito?/ A verdade sou eu/ A aguardá-lo no peito./ / Pois ab...

Cenário de Natal Sem o Natal (5)

Nenhuma estrela luz, com mais brilho no céu./ Não oiço rumor d’asa ou de vagido/ É meia-noite já. E ainda não nasceu./ O que terá acontecido?/ / Eu, para aqui ajoelhado,/ A memória da infância a pedi...

Pedra Tumular (6)

A minha geração fugiu à guerra,/ Por isso a paz que traz não tem sentido:/ É feita de ignorância e de castigo,/ Tão rígida e tão fria como a pedra./ / Desfazem-se-lhe as mãos em gestos frágeis,/ Duma...

Talvez Natal (7)

Que a minha poesia / Jorre de novo em fonte. / Tu que fazes, Maria? / - Vou beijar-te na fronte. / / Que a rosa da alegria / Volte a esfolhar-se em mim. / Tu que fazes, Maria? / - Colho-a no meu jard...


Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE