Carlos Drummond de Andrade

Brasil
31 Out 1902 // 17 Ago 1987
Escritor/Poeta/Cronista

49 Poemas

<< >>

Igual-Desigual (21)

Eu desconfiava:/ todas as histórias em quadrinho são iguais./ Todos os filmes norte-americanos são iguais./ Todos os filmes de todos os países são iguais./ Todos os best-sellers são iguais/ To...

Família (22)

Três meninos e duas meninas,/ sendo uma ainda de colo./ A cozinheira preta, a copeira mulata,/ o papagaio, o gato, o cachorro,/ as galinhas gordas no palmo de horta/ e a mulher que trata de tudo./ / ...

Essas Coisas (23)

«Você não está mais na idade/ de sofrer por essas coisas.»/ / Há então a idade de sofrer/ e a de não sofrer mais/ por essas, essas coisas?/ / As coisas só deviam acontecer/ para fazer sofrer/ na idad...

Para o Sexo a Expirar (24)

Para o sexo a expirar eu me volto, expirante,/ raiz de minha vida, em ti me enredo e afundo./ Amor, amor, amor — o braseiro radiante/ que me dá, pelo orgasmo, a explicação do mundo./ / Pobre carne s...

O Chão é Cama para o Amor Urgente (25)

O chão é cama para o amor urgente,/ amor que não espera ir para a cama./ Sobre tapete ou duro piso, a gente/ compõe de corpo e corpo a húmida trama./ / E para repousar do amor, vamos à cama./ / Ca...

Sociedade (26)

O homem disse para o amigo:/ — Breve irei a tua casa/ e levarei minha mulher./ / O amigo enfeitou a casa/ e quando o homem chegou com a mulher,/ soltou uma dúzia de foguetes./ / O homem comeu e bebeu...

Desperdício (27)

Solidão, não te mereço,/ pois que te consumo em vão./ Sabendo-te embora o preço,/ calco teu ouro no chão./ / Carlos Drummond de Andrade, in 'Viola de Bolso'...

Falta Pouco (28)

Falta pouco para acabar/ o uso desta mesa pela manhã/ o hábito de chegar à janela da esquerda/ aberta sobre enxugadores de roupa./ Falta pouco para acabar/ a própria obrigação de roupa/ a obrigação d...

O Procurador do Amor (29)

Amor, a quanto me obrigas./ De dorso curvo e olhar aceso,/ troto as avenidas neutras/ atrás da sombra que me inculcas./ / Esta sombra que se confunde/ com as mulheres gordas e magras,/ entra numa por...

Historiador (30)

Veio para ressuscitar o tempo/ e escalpelar os mortos,/ as condecorações, as liturgias, as espadas,/ o espectro das fazendas submergidas,/ o muro de pedra entre membros da família,/ o ardido queixume...

Amor e Seu Tempo (31)

Amor é privilégio de maduros/ estendidos na mais estreita cama,/ que se torna a mais larga e mais relvosa,/ roçando, em cada poro, o céu do corpo./ / É isto, amor: o ganho não previsto,/ o prémio sub...

Inquérito (32)

Pergunta às árvores da rua/ que notícia têm desse dia/ filtrado em betume da noite;/ se por acaso pressentiram/ nas aragens conversadeiras,/ ágil correio do universo,/ um calar mais informativo/ que ...

Os Velhos (33)

Todos nasceram velhos — desconfio./ Em casas mais velhas que a velhice,/ em ruas que existiram sempre — sempre/ assim como estão hoje/ e não deixarão nunca de estar:/ soturnas e paradas e indeléveis/...

A Palavra (34)

Já não quero dicionários/ consultados em vão./ Quero só a palavra/ que nunca estará neles/ nem se pode inventar./ / Que resumiria o mundo/ e o substituiria./ Mais sol do que o sol,/ dentro da qual vi...

Em Louvor da Miniblusa (35)

Hoje vai a antiga musa/ celebrar a nova blusa/ que de Norte a Sul se usa/ como graça de verão./ Graça que mostra o que esconde/ a blusa comum, mas onde/ um velho da era do bonde/ encontrará mais mens...

Convite Triste (36)

Meu amigo, vamos sofrer,/ vamos beber, vamos ler jornal,/ vamos dizer que a vida é ruim,/ meu amigo, vamos sofrer./ / Vamos fazer um poema/ ou qualquer outra besteira./ Fitar por exemplo uma estrela/...

Sob o Chuveiro Amar (37)

Sob o chuveiro amar, sabão e beijos,/ ou na banheira amar, de água vestidos,/ amor escorregante, foge, prende-se,/ torna a fugir, água nos olhos, bocas,/ dança, navegação, mergulho, chuva,/ essa espu...

O que se Passa na Cama (38)

O que se passa na cama/ é segredo de quem ama./ / É segredo de quem ama/ não conhecer pela rama/ gozo que seja profundo,/ elaborado na terra/ e tão fora deste mundo/ que o corpo, encontrando o corpo/...

Deus Triste (39)

Deus é triste./ / Domingo descobri que Deus é triste/ pela semana afora e além do tempo./ / A solidão de Deus é incomparável./ Deus não está diante de Deus./ Está sempre em si mesmo e cobre tudo/ tri...

Dois Rumos (40)

Mentir, eis o problema:/ minto de vez em quando/ ou sempre, por sistema?/ / Se mentir todo dia,/ erguerei um castelo/ em alta serrania/ / contra toda escalada,/ e mais ninguém no mundo/ me atira seta...
<< >>

Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE