Carlos Nejar

Brasil
n. 11 Jan 1939
Poeta/Crítico literário

7 Poemas



Se Perguntas Onde Fui (1)

Se perguntas onde fui,/ devo dizer: o mar./ Estive sempre ali,/ mesmo estando a mudar./ / Foi ali que escrevi/ tua pele, teu suor./ Ao tempo, seus faróis./ Não mudei de mudar./ / 2/ / O que mu...

Contra a Esperança (2)

É preciso esperar contra a esperança./ Esperar, amar, criar/ contra a esperança/ e depois desesperar a esperança/ mas esperar,/ enquanto um fio de água, um remo,/ peixes/ existem e sobrevivem/ no mei...

A Idade (3)

Falou e disse um pássaro,/ dois sóis, uma pequena estrela./ Falou para que calássemos/ e disse amor, penúria, brevidade./ E disse disse disse/ a idade da eternidade./ / Carlos Nejar, in 'O ...

Amar é a Mais Alta Constelação (4)

Aqui ficam as coisas./ / Amar é a mais alta constelação./ / Os sapatos sem dono/ tripulando/ na correnteza-espaço/ em que deitamos./ / As minhas mãos telhado/ no teu rosto de pombas./ / Os corpos/ ci...

Cântico (5)

Limarás tua esperança/ até que a mó se desgaste;/ mesmo sem mó, limarás/ contra a sorte e o desespero./ / Até que tudo te seja/ mais doloroso e profundo./ Limarás sem mãos ou braços,/ com o coração r...

Nas Altas Torres (6)

Nas altas torres do corpo/ todas as horas cantavam./ Eu quis ficar mais um pouco/ como se um campo de potros/ espantasse a madrugada./ / Eu quis ficar mais um pouco/ e o teu corpo e o meu tocavam/ in...

Gazel da Paciente Espera (7)

/ Para Regina Célia Colónia/ / Quanto te esperei/ nas portas do dia/ e te esperei/ quando a terra nascia:/ o espírito metáfora/ boiava./ / E te esperava/ mas nenhuma nebulosa/ te envolvia...


Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE