Carlos Queirós

Portugal
5 Abr 1907 // 27 Out 1949
Poeta

5 Poemas



Canção Grata (1)

Por tudo o que me deste:/ — Inquietação, cuidado,/ (Um pouco de ternura? É certo, mas tão pouco!)/ Noites de insónia, pelas ruas, como um louco.../ — Obr...

Libera Me (2)

Livrai-me, Senhor,/ De tudo o que for/ Vazio de amor./ / Que nunca me espere/ Quem bem me não quer/ (Homem ou mulher)./ / Livrai-me também/ De quem me detém/ E graça não tem,/ / E mais de quem não/ P...

Desaparecido (3)

Sempre que leio nos jornais:/ «De casa de seus pais desapar'ceu...»/ Embora sejam outros os sinais,/ Suponho sempre que sou eu./ / Eu, verdadeiramente jovem,/ Que por caminhos meus e naturais,/ Do me...

Anti-Soneto (4)

Ao Mário Saa/ / O nosso drama de portugueses,/ O nosso maior drama entre os maiores/ Dos dramas portugueses,/ É este apego hereditário à Forma:/ Ao modo de dizer, aos pontinhos nos ii,/ Às vírgu...

Prece do Natal (5)

Menino Jesus/ De novo nascido,/ Baixai o sentido/ Para a nossa cruz!/ / Vede que os humanos/ Erros e cuidados/ Nos são tão pesados/ Como há dois mil anos./ / A nossa ignorância/ É um fardo que arde./...


Facebook

Inspirações

O Que Está Certo

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE