Cecília Meireles

Brasil
7 Nov 1901 // 9 Nov 1964
Poeta/Escritora

40 Poemas

<<

Sugestão (21)

Sede assim — qualquer coisa/ serena, isenta, fiel./ / Flor que se cumpre,/ sem pergunta./ / Onda que se esforça,/ por exercício desinteressado./ / Lua que envolve igualmente/ os noivos abraçados/ e o...

Atitude (22)

Minha esperança perdeu seu nome.../ Fechei meu sonho, para chamá-la./ A tristeza transfigurou-me/ como o luar que entra numa sala./ / O último passo do destino/ parará sem forma funesta, / e a noite ...

Lei (23)

O que é preciso é entender a solidão!/ O que é preciso é aceitar, mesmo, a onda amarga/ que leva os mortos./ / O que é preciso é esperar pela estrela/ que ainda não está completa./ / O que é preciso ...

Canção (24)

Pus o meu sonho num navio/ e o navio em cima do mar;/ — depois, abri o mar com as mãos,/ para o meu sonho naufragar./ / Minhas mãos ainda estão molhadas/ do azul das ondas entreabertas,/ e a cor que ...

Timidez (25)

Basta-me um pequeno gesto,/ feito de longe e de leve,/ para que venhas comigo/ e eu para sempre te leve. . ./ / — mas só esse eu não farei./ / Uma palavra caída/ das montanhas dos instantes/ desmanch...

Música (26)

Noite perdida,/ não te lamento:/ embarco a vida/ / no pensamento,/ busco a alvorada/ do sonho isento,/ / puro e sem nada,/ - rosa encarnada,/ intacta, ao vento./ / Noite perdida,/ noite encontrada,/ ...

Guerra (27)

Tanto é o sangue/ que os rios desistem de seu ritmo,/ e o oceano delira/ e rejeita as espumas vermelhas./ / Tanto é o sangue/ que até a lua se levanta horrível,/ e erra nos lugares serenos,/ sonâmbul...

A Amiga Deixada (28)

Antiga/ cantiga/ da amiga/ deixada./ / Musgo da piscina,/ de uma água tão fina,/ sobre a qual se inclina/ a lua exilada./ / Antiga/ cantiga/ da amiga/ chamada./ / Chegara tão perto!/ Mas tinha, decer...

Apresentação (29)

Aqui está minha vida — esta areia tão clara/ com desenhos de andar dedicados ao vento./ / Aqui está minha voz — esta concha vazia,/ sombra de som curtindo o seu próprio lamento./ / Aqui está minha do...

Epitáfio (30)

Ainda correm lágrimas pelos/ teus grisalhos, tristes cabelos,/ na terra vã desintegrados,/ em pequenas flores tornados./ / Todos os dias estás viva,/ na soledade pensativa,/ ó simples alma grave e pu...

Gargalhada (31)

Hornem vulgar! Homem de coração mesquinho!/ Eu te quero ensinar a arte sublime de rir./ Dobra essa orelha grosseira, e escuta/ o ritmo e o som da minha gargalhada:/ / Ah! Ah! Ah! Ah!/ Ah! Ah! Ah! Ah!...

Assovio (32)

Ninguém abra a sua porta/ para ver que aconteceu:/ saímos de braço dado,/ a noite escura mais eu./ / Ela não sabe o meu rumo, / eu não lhe pergunto o seu:/ não posso perder mais nada,/ se o que houve...

Rimance (33)

Onde é que dói na minha vida,/ para que eu me sinta tão mal?/ quem foi que me deixou ferida/ de ferimento tão mortal?/ / Eu parei diante da paisagem:/ e levava uma flor na mão./ Eu parei diante da pa...

Inscrição (34)

Quem se deleita em tornar minha vida impossível/ por todos os lados?/ Certamente estás rindo de longe,/ ó encoberto adversário!/ / Mas a minha paciência é mais firme/ que todas as sanhas da sorte:/ m...

Os Homens Gloriosos (35)

Sentei-me sem perguntas à beira da terra,/ e ouvi narrarem-se casualmente os que passavam./ Tenho a garganta amarga e os olhos doloridos:/ deixai-me esquecer o tempo,/ inclinar nas mãos a testa desen...

Nas Águas Vosso Amor Ponde (36)

A palavra que te disse,/ talvez por ser tão pequena,/ em tais desprezos perdeu-se/ que não deixou nem pena./ / Murmurei-a a uma cisterna/ de turvas águas antigas/ e foi-se de cova em cova/ em múltipl...

Prazo de Vida (37)

No meio do mundo faz frio,/ faz frio no meio do mundo,/ muito frio./ / Mandei armar o meu navio./ Volveremos ao mar profundo,/ meu navio!/ / No meio das águas faz frio./ Faz frio no meio das águas,/ ...

Solidão (38)

Imensas noites de Inverno,/ com frias montanhas mudas,/ é o mar negro, mais eterno,/ mais terrível, mais profundo./ / (...)/ / A noite fecha seus lábios/ - terra e céu - guardado nome./ E os seus lon...

Jornal, longe (39)

Que faremos destes jornais, com telegramas, notícias,/ anúncios, fotografias, opiniões...?/ / Caem as folhas secas sobre os longos relatos de guerra:/ e o sol empalidece suas letras infinitas./ / Que...

Gaita de Lata (40)

Se o amor ainda medrasse,/ aqui ficava contigo,/ pois gosto da tua face,/ / desse teu riso de fonte,/ e do teu olhar antigo/ de estrela sem horizonte./ / Como, porém, já não medra,/ cada um com a sor...
<<

Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE