Gonçalo M. Tavares

Portugal
n. 1970
Escritor/Professor

6 Poemas



A Grande Inteligência é Sobreviver (1)

A grande Inteligência é sobreviver./ As tartarugas portanto não são teimosas nem lentas, dominam;/ SIM, a ciência. / Toda a tecnologia é quase inútil e estúpida,/ porque a artesanal tartaruga,/ a esp...

A Minha Religião é o Novo (2)

A minha Religião é o Novo./ Este dia, por exemplo; o pôr do Sol,/ estas invenções habituais: o Mar./ Ainda:/ os cisnes a Ralhar com a água. A Rapariga mais bonita que/ ontem./ Deus como habitante úni...

A Parte Invisível do Visível (3)

A parte invisível do visível./ De resto conhecer mais o quê?/ O Manifesto do Invisível./ Os lobos são a cabeça do anjo que não se vê./ Sangue no Focinho e Cobardia./ / Gonçalo M. Tavares, in Inve...

Linguagem Violenta: a Única (4)

Linguagem violenta: a única./ A outra é: Sedução ou Submissão./ Ou seja, o mesmo medo: recear estar só./ Quando se fala, fala-se. No alto da matéria e do espirito./ / Gonçalo M. Tavares, in Inves...

O Futuro Sai da Fenda e da Ferida (5)

a geometria abre a linha para deixar passar a Imaginação./ O FUTURO sai da FENDA e da FERIDA./ Do que antes foi, hoje sai Sangue./ Inundar o VAZIO: o FUTURO inunda o VAZIO./ Porque todo o vazio tem p...

A Força Exacta é Violência (6)

a Força Exacta é violência./ a Força em espirro, ao acaso, não é violência, é existência./ O mal é Fixar a Força (direccioná-la) porque a natureza espon-/ tânea não o FAZ./ Natural é ser FORTE, isto ...


Pesquisa

Facebook

O Meu Primeiro Poema

Têm-me perguntado muitas vezes quando escrevi o primeiro poema, quando nasceu a minha poesia. Tentarei recordá-lo. Muito para trás, na minha infância, mal sabendo ainda escrever, senti uma vez uma in...

Sou os Sonhos que não Realizei

A tristeza de não ser mais do que aquilo que deixei de ser. De não fazer mais do que aquilo que deixei por fazer. Sou os sonhos que não realizei, os passos que não dei. Sou a vida, sim, que não vivi....