Irene Lisboa

Portugal
25 Dez 1892 // 25 Nov 1958
Escritora/Professora/Pedagoga

6 Poemas



Meados de Maio (1)

Chuvoso maio!/ / Deste lado oiço gotejar/ sobre as pedras./ Som da cidade .../ Do outro via a chuva no ar./ Perpendicular, fina,/ Tomava cor,/ distinguia-se/ contra o fundo das trepadeiras/ do jardim...

Pequenos Poemas Mentais (2)

Mental: nada, ou quase nada sentimental./ / I/ / Quem não sai de sua casa,/ não atravessa montes nem vales,/ não vê eiras/ nem mulheres de infusa,/ nem homens de mangual em riste, suados,...

Amor (3)

Aqueles olhos aproximam-se e passam./ Perplexos, cheios de funda luz,/ doces e acerados, dominam-me./ Quem os diria tão ousados?/ Tão humildes e tão imperiosos,/ tão obstinados!/ / Como estão próximo...

Solidão (4)

Cai chuva, chora./ Chora, chora./ Solidão, solidão!/ / Já não canta o pássaro./ Calou-se a voz, a alegre, a rara./ A que se ouvia solitária./ Cai chuva./ / Não sou freira e estou num convento./ A paz...

Jeito de Escrever (5)

Não sei que diga./ E a quem o dizer?/ Não sei que pense./ Nada jamais soube. / / Nem de mim, nem dos outros./ Nem do tempo, do céu e da terra, das coisas.../ Seja do que for ou do que fosse./ Não se...

Canto (6)

... e o vento,/ o vento dos altos a que me dei,/ a ti me trouxe/ a ti me entregou./ Se em mim já estavas!/ Pela boca, pelos olhos e pelas mãos,/ arreigado e voraz,/ meu invasor enternecido./ / Cinco ...


Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE