Joaquim Maria Machado de Assis

Brasil
21 Jun 1839 // 29 Set 1908
Escritor

30 Poemas

>>

Menina e Moça (1)

Está naquela idade inquieta e duvidosa,/ Que não é dia claro e é já o alvorecer;/ Entreaberto botão, entrefechada rosa,/ Um pouco de menina e um pouco de mulher./ / Às vezes recatada, outras estouvad...

Quando Ela Fala (2)

Quando ela fala, parece/ Que a voz da brisa se cala;/ Talvez um anjo emudece/ Quando ela fala./ / Meu coração dolorido/ As suas mágoas exala,/ E volta ao gozo perdido/ Quando ela ...

Os Dois Horizontes (3)

Dois horizontes fecham nossa vida:/ / Um horizonte, — a saudade/ Do que não há de voltar;/ Outro horizonte, — a esperança/ Dos tempos que hão de chegar;/ ...

As Rosas (4)

Rosas que desabrochais,/ Como os primeiros amores,/ Aos suaves resplendores/ Matinais;/ / Em vão ostentais, em vão,/ A vossa graça suprema;/ De pouco vale; é o diadema/ Da ilusão....

 (5)

As orações dos homens/ Subam eternamente aos teus ouvidos;/ Eternamente aos teus ouvidos soem/ Os cânticos da terra./ / No turvo mar da vida,/ Onde aos parcéis do crime ...

Manhã de Inverno (6)

Coroada de névoas, surge a aurora/ Por detrás das montanhas do oriente;/ Vê-se um resto de sono e de preguiça,/ Nos olhos da fantástica indolente./ / Névoas enchem de um lado e de outro os morros/ Tr...

Erro (7)

Erro é teu. Amei-te um dia/ Com esse amor passageiro/ Que nasce na fantasia/ E não chega ao coração;/ Nem foi amor, foi apenas/ Uma ligeira impressão;/ Um querer indiferente,/ Em tua presença vivo,/ ...

Luz entre Sombras (8)

É noite medonha e escura,/ Muda como o passamento*/ Uma só no firmamento/ Trêmula estrela fulgura./ / Fala aos ecos da espessura/ A chorosa harpa do vento,/ E num canto sonolento/ Entre as árvores mu...

A Caridade (9)

Ela tinha no rosto uma expressão tão calma/ Como o sono inocente e primeiro de uma alma/ Donde não se afastou ainda o olhar de Deus;/ Uma serena graça, uma graça dos céus* *,/ Era-lhe o casto, o bran...

O Verme (10)

Existe uma flor que encerra/ Celeste orvalho e perfume./ Plantou-a em fecunda terra/ Mão benéfica de um nume./ / Um verme asqueroso e feio,/ Gerado em lodo mortal,/ Busca esta flor virginal/ E vai do...

Horas Vivas (11)

Noite: abrem-se as flores.../ Que esplendores!/ Cíntia sonha amores/ Pelo céu./ Tênues as neblinas/ Às campinas/ Descem das colinas,/ Como um véu./ / Mãos em m...

Lua Nova (12)

Mãe dos frutos, Jaci, no alto espaço/ Ei-la assoma serena e indecisa:/ Sopro é dela esta lânguida brisa/ Que sussurra na terra e no mar./ Não se mira nas águas do rio,/ Nem as ervas do campo branquei...

Última Folha (13)

Musa, desce do alto da montanha/ Onde aspiraste o aroma da poesia,/ E deixa ao eco dos sagrados ermos/ A última harmonia./ / Dos teus cabelos de ouro, que beijavam/ Na amena tarde as viraçõ...

Os Arlequins - Sátira (14)

Musa, depõe a lira!/ Cantos de amor, cantos de glória esquece!/ Novo assunto aparece/ Que o gênio move e a indignação inspira./ Esta esfera é mais vasta,/ E vence a letr...

Visio (15)

Eras pálida. E os cabelos,/ Aéreos, soltos novelos,/ Sobre as espáduas caíam.../ Os olhos meio cerrados/ De volúpia e de ternura/ Entre lágrimas luziam.../ E os braços entrelaçados,/ Como cingindo a ...

Musa dos Olhos Verdes (16)

Musa dos olhos verdes, musa alada,/ Ó divina esperança,/ Consolo do ancião no extremo alento,/ E sonho da criança;/ / Tu que junto do berço o infante cinges/ C’os fúlgid...

Aspiração (17)

Sinto que há na minha alma um vácuo imenso e fundo,/ E desta meia morte o frio olhar do mundo/ Não vê o que há de triste e de real em mim;/ Muita vez, ó poeta, a dor é casta assim;/ Refolha-se, não d...

Os Semeadores (18)

Vós os que hoje colheis, por esses campos largos,/ O doce fruto e a flor,/ Acaso esquecereis os ásperos e amargos/ Tempos do semeador?/ / Rude era o chão; agreste e longo aquele d...

Noivado (19)

Vês, querida, o horizonte ardendo em chamas?/ Além desses outeiros/ Vai descambando o sol, e à terra envia/ Os raios derradeiros;/ A tarde, como noiva que enrubesce,/ Traz no rost...

Stella (20)

Já raro e mais escasso/ A noite arrasta o manto,/ E verte o último pranto/ Por todo o vasto espaço./ / Tíbio clarão já cora/ A tela do horizonte,/ E já de sobre o monte/ Vem debruçar-se a aurora./ / ...
>>

Pesquisa

Facebook

Estou Sofrendo de Amor Feliz

Estou sofrendo de amor feliz. Só aparentemente é que isso é contraditório. Quando se sente amor, tem-se uma funda ansiedade. É como se eu risse e chorasse ao mesmo tempo. Sem falar no medo que essa f...

Tenho Saudades de Ti

Os dias contigo são dias inteiros que passam num instante. Tenho saudades de ti quando acordo, antes de perceber que já estás ali ao meu lado. Tenho saudades de ti de manhã enquanto espero que desças...