Luiza Neto Jorge

Portugal
10 Mai 1939 // 23 Fev 1989
Tradutora/Poetisa

5 Poemas



Desinferno II (1)

Caísse a montanha e do oiro o brilho/ O meigo jardim abolisse a flor/ A mãe desmoesse as carnes do filho/ Por botão de vídeo se fizesse amor/ / O livro morresse, a obra parasse/ Soasse a granizo o qu...

O Poema Ensina a Cair (2)

O poema ensina a cair/ sobre os vários solos/ desde perder o chão repentino sob os pés/ como se perde os sentidos numa/ queda de amor, ao encontro/ do cabo onde a terra abate e/ a fecunda ausência ex...

O Corpo Insurrecto (3)

Sendo com o seu ouro, aurífero,/ o corpo é insurrecto./ Consome-se, combustível,/ no sexo, boca e recto./ / Ainda antes que pegue/ aos cinco sentidos a chama,/ por um aceso acesso/ da imaginação/ ate...

Acordar na Rua do Mundo (4)

madrugada, passos soltos de gente que saiu/ com destino certo e sem destino aos tombos/ no meu quarto cai o som depois/ a luz. ninguém sabe o que vai/ por esse mundo. que dia é hoje?/ soa o sino sóli...

Álbum de Família (5)

Reconheço a mãe/ comia legumes/ vivia roendo/ entre um cheiro/ herbívoro/ dizendo/ «como vegetais/ por vício»/ / a minha outra mãe/ mansa provinha/ do ventre polar/ de sua mãe/ deu-me à luz/ eléctric...


Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE