Manoel de Barros

Brasil
19 Dez 1916 // 13 Nov 2014
Poeta

4 Poemas



Poema (1)

A poesia está guardada nas palavras – é tudo que/ eu sei./ Meu fado é o de não saber quase tudo./ Sobre o nada eu tenho profundidades./ Não tenho conexões com a realidade./ Poderoso para mim não é aq...

A Borra (2)

Prefiro as palavras obscuras que moram nos/ fundos de uma cozinha – tipo borra, latas, cisco/ Do que as palavras que moram nos sodalícios –/ tipo excelência, conspícuo, majestade./ Também os meus alt...

Autorretrato (3)

Ao nascer eu não estava acordado, de forma que/ não vi a hora./ Isso faz tempo./ Foi na beira de um rio./ Depois eu já morri 14 vezes./ Só falta a última./ Escrevi 14 livros/ e deles estou livrado./ ...

Uso a Palavra para Compor Meus Silêncios (4)

Uso a palavra para compor meus silêncios./ Não gosto das palavras/ fatigadas de informar./ Dou mais respeito/ às que vivem de barriga no chão/ tipo água pedra sapo./ Entendo bem o sotaque das águas./...


Facebook

Inspirações

Ser Autêntico

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE