Murilo Mendes

Brasil
13 Mai 1901 // 13 Ago 1975
Poeta

5 Poemas



Aproximação do Terror (1)

1/ / Dos braços do poeta/ Pende a ópera do mundo/ (Tempo, cirurgião do mundo):/ / O abismo bate palmas,/ A noite aponta o revólver./ Ouço a multidão, o coro do universo,/ O trote das estrelas/ Já nos...

Igreja Mulher (2)

A igreja toda em curvas avança para mim,/ Enlaçando-me com ternura - mas quer me asfixiar./ Com um braço me indica o seio e o paraíso,/ Com outro braço me convoca para o inferno./ Ela segura o Livro,...

Manhã (3)

As estátuas sem mim não podem mover os braços/ Minhas antigas namoradas sem mim não podem amar seus/ [maridos/ / Muitos versos sem mim não poderão existir./ / É inútil deter as aparições da musa...

Testemunha (4)

O céu se retira como um livro que se enrola./ Um anjo blindado solta os sete pecados mortais./ Mulheres-cavalos galopam furiosamente nas ruas,/ Homens ajoelham-se diante do sexo duma fêmea,/ Outros d...

Jandira (5)

O mundo começava nos seios de Jandira./ / Depois surgiram outras peças da criação:/ Surgiram os cabelos para cobrir o corpo,/ (Às vezes o braço esquerdo desaparecia no caos.)/ E surgiram os olhos par...


Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE