Pablo Neruda

Chile
12 Jul 1904 // 23 Set 1973
Poeta [Nobel 1971]

36 Poemas

<< >>

Saudade (11)

Saudade - O que será... não sei... procurei sabê-lo/ em dicionários antigos e poeirentos/ e noutros livros onde não achei o sentido/ desta doce palavra de perfis ambíguos./ / Dizem que azuis são as m...

Sempre (12)

Ao contrário de ti/ não tenho ciúmes./ / Vem com um homem/ às costas,/ vem com cem homens nos teus cabelos,/ vem com mil homens entre os seios e os pés,/ vem como um rio/ cheio de afogados/ que encon...

A Rainha (13)

Nomeei-te rainha. / Há maiores do que tu, maiores./ Há mais puras do que tu, mais puras./ Há mais belas do que tu, há mais belas./ / Mas tu és a rainha./ / Quando andas pelas ruas/ ninguém te reconhe...

Todo o Amor em Nosso Amor se Encerra (14)

Minha moça selvagem, tivemos/ que recuperar o tempo/ e caminhar para trás, na distância/ das nossas vidas, beijo a beijo,/ retirando de um lugar o que demos/ sem alegria, descobrindo noutro/ o caminh...

Amigo (15)

1./ Amigo, toma para ti o que quiseres,/ passeia o teu olhar pelos meus recantos,/ e se assim o desejas, dou-te a alma inteira,/ com suas brancas avenidas e canções./ / 2./ Amigo - faz com que na tar...

Antes de Amar-te Eu nada Tinha (16)

Antes de amar-te, amor, eu nada tinha:/ vacilei pelas ruas e pelas coisas:/ nada contava nem tinha nome:/ o mundo era do ar que aguardava./ / Conheci salões cinzentos,/ túneis habitados pela lua,/ ha...

Prende o Teu Coração ao Meu (17)

De noite, amada, prende o teu coração ao meu/ e que no sono eles dissipem as trevas/ como um duplo tambor combatendo no bosque/ contra o espesso muro das folhas molhadas./ / Nocturna travessia, brasa...

A Noite na Ilha (18)

Dormi contigo toda a noite/ junto ao mar, na ilha./ Eras doce e selvagem entre o prazer e o sono,/ entre o fogo e a água./ / Os nossos sonos uniram-se/ talvez muito tarde/ no alto ou no fundo,/ em ci...

Tu Vinhas (19)

Não me fizeste sofrer/ mas esperar./ / Naquelas horas/ emaranhadas, cheias/ de serpentes,/ quando/ a alma me caía e eu me afogava,/ tu vinhas-te aproximando,/ tu vinhas nua e arranhada,/ tu chegavas ...

Bela (20)

Bela,/ como na pedra fresca/ da fonte, a água/ abre um vasto relâmpago de espuma,/ assim é o sorriso do teu rosto,/ bela./ / Bela,/ de finas mãos e delicados pés/ como um cavalinho de prata,/ caminha...
<< >>

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE