Paulo Mendes Campos

Brasil
28 Fev 1922 // 1 Jul 1991
Escritor/Jornalista

5 Poemas



Três Coisas (1)

Não consigo entender/ O tempo/ A morte/ Teu olhar/ / O tempo é muito comprido/ A morte não tem sentido/ Teu olhar me põe perdido/ / Não consigo medir/ O tempo/ A morte/ Teu olhar/ / O tempo, quando é...

Sentimento do Tempo (2)

Os sapatos envelheceram depois de usados/ Mas fui por mim mesmo aos mesmos descampados/ E as borboletas pousavam nos dedos de meus pés./ As coisas estavam mortas, muito mortas,/ Mas a vida tem outras...

As Mãos que se Procuram (3)

Quando o olhar adivinhando a vida/ Prende-se a outro olhar de criatura/ O espaço se converte na moldura/ O tempo incide incerto sem medida/ / As mãos que se procuram ficam presas/ Os dedos estreitado...

A uma Bailarina (4)

Quero escrever meu verso no momento/ Em que o limite extremo da ribalta/ Silencia teus pés, e um deus se exalta/ Como se o corpo fosse um pensamento./ / Além do palco, existe o pavimento/ Que nunca i...

Despede Teu Pudor (5)

Despede teu pudor com a camisa/ E deixa alada louca sem memória/ Uma nudez nascida para a glória/ Sofrer de meu olhar que te heroíza/ / Tudo teu corpo tem, não te humaniza/ Uma cegueira fácil de vitó...


Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE