Tomaz de Figueiredo

Portugal
6 Jul 1902 // 29 Abr 1970
Escritor

3 Poemas



Posfácio à Toca do Lobo (1)

- Pai, vem da morte e vamos às perdizes./ Vejo a aurora, que tinge do seu rajo/ de dente a dente a Serra de Soajo.../ - Ciprestes, desatai-o das raízes!/ / - Este Inverno as perdizes estão em barda:/...

Para quê me Deste à Vida? (2)

Para que foi, ó Mãe, que me criaste?/ Mas — antes! — para quê me deste à vida?/ Emendando: porquê, de espavorida,/ o pescoço me não estorcegaste?/ / Melhor andaras, Mãe, pois destinaste,/ assim, a tu...

À Braseira (3)

Saio da tua casa. Escorrega,/ do codo, a rua. Alcanço a porta amiga/ de teu Tio, que espera a suecada./ Ah! que rica braseira! Levas, pronto,/ uma chita, ou lavagem, ou lambida,/ ou rapada. Um jagode...


Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE