Vergílio Ferreira

Portugal
28 Jan 1916 // 1 Mar 1996
Escritor

9 Poemas



Cai a Chuva Abandonada (1)

Cai a chuva abandonada/ à minha melancolia,/ a melancolia do nada/ que é tudo o que em nós se cria./ / Memória estranha de outrora/ não a sei e está presente./ Em mim por si se demora/ e nada em mim ...

Por Entre os Sons da Música (2)

Por entre os sons da música, ao ouvido/ como a uma porta que ficou entreaberta/ o que se me revela em ter sentido/ é o que por essa música encoberta/ / acena em vão do outro lado dela/ e eu sinto com...

Que Há para Lá do Sonhar? (3)

Céu baixo, grosso, cinzento/ e uma luz vaga pelo ar/ chama-me ao gosto de estar/ reduzido ao fermento/ do que em mim a levedar/ é este estranho tormento/ de me estar tudo a contento,/ em todo o meu p...

Só nos Pertence o Gesto que Fizemos (4)

Só nos pertence o gesto que fizemos/ não o fazê-lo como, iludida,/ a divindade que em nós já trouxemos/ supõe errada (e não) por convencida./ / Porque o traçado nosso em breve cessa,/ para que outro ...

Veio Ter Comigo Hoje a Poesia (5)

Veio ter comigo hoje a poesia./ Há quantos anos? Desde a juventude./ Veio num raio de sol, num murmúrio de vento./ E a ilusão que me trouxe de uma antiga alegria/ reinventou-me a antiga plenitude/ qu...

Retomo ao Ponto de Partida (6)

Retomo, pois, ao ponto de partida/ como um presente, o ponto de chegada./ Entre um começo e outro não há nada/ Excepto o nada da vida vivida./ / Desgaste, corrosão do que de novo/ em velho se mudou a...

Sinto na Angústia o Quem me Lembrasse (7)

Sinto na angústia o quem me lembrasse/ e do lembrar a mim como uma ponte/ onde de noite já ninguém passasse/ viesse a notícia desse outro horizonte/ / em que o meu grito preso na garganta/ dissesse à...

Fímbria de Melancolia (8)

Fímbria de melancolia,/ memória incerta da dor,/ ouço-a no gravador,/ no fado que não se ouvia/ quando ouvia o seu clamor./ / Porque era já no passado/ o presente dessa hora/ e que me ressoa agora/ a...

Joga Todo o Teu Ser na Breve Ideia (9)

Joga todo o teu ser na breve ideia/ que incerta entre o corrente te procura/ pra lá do que banal te prende e enleia/ e pelo destacá-la emerge pura./ / Fazê-lo é dar-lhe já o que perdura./ Porque a ba...


Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE