Walmir Ayala

Brasil
4 Jan 1933 // 28 Ago 1991
Poeta/Romancista

5 Poemas



Viola (1)

Ai, não morras de amor, de amor não morre/ o amor que mata amor morosamente./ Não creias no que te arma de descrente/ e sendo anti-socorro te socorre./ / Naquela simples gala, justamente,/ é início d...

Até o Fim (2)

Até o fim com esta garganta/ e estes olhos/ líquidos, até o fim/ com estas mãos/ trémulas./ / Até o fim com estes pés exaustos/ e estes lábios costurados/ ao pé da noite. Até o fim/ sem dizer nada./ ...

Amor, se te Repito (3)

Amor, se te repito, se te clamo/ se te exijo e te cravo em mim, se espero/ sabendo que não vens, e se te gero/ em cada instante meu, e se te amo,/ / amor, se te reservo o que mais quero,/ se te acred...

Protesto (4)

Não é no teu corpo que se imola/ para a ceia dos meus sentidos/ a vítima núbil, a áurea mola/ que cinge o amor recente aos idos./ / Mas é também no teu corpo que corre/ o sangue qu...

Noite Escura (5)

Noite escura do amor, em que me deito/ com teu corpo de luz, eu assombrado/ deste fantasma de repente alado/ amplificando a jaula do meu peito./ / Deixando-o infinito, maculado/ de sangue e espuma (é...


Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE