Mário Beirão

Portugal
1 Mai 1890 // 1965


Aleluia

Se cantas, nasce o dia;
A luz segreda à flor: Ave, Maria!

Tudo é silêncio, espanto,
Quando vaga no Azul o teu encanto...

Passas e deixas no ar
O perfume das rosas de toucar!

Creio em ti, como em Deus;
Viver à tua luz é estar nos Céus!

Verdes enleios de hera
Cingem de amor teu vulto, ó Primavera!

Nos perdidos caminhos,
Voam gorjeios, músicas dos ninhos...

A Terra em névoas de ouro
Ascende a Deus em teu olhar de choro!

Senhora da Harmonia,
Em ti a minha vida principia!

Se voas pela Altura,
Gravas no Azul a tua formosura!

Teu voo é um longo adeus:
O caminho das almas para os Céus...

Longe, saudosa, adejas,
E pairas sobre mim... bendita sejas!

Mário Beirão, in 'Antologia Poética'




Outros Poemas de Mário Beirão:

1. Teus Olhos
2. Aleluia
3. Amor
4. Enlevo
5. Ausência
6. Anjo

Facebook

Inspirações

Ter ou Ser

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE