António Osório

Portugal
n. 1 Ago 1933
Escritor/Poeta

Amo os Teus Defeitos

Amo os teus defeitos, e tantos
eram, as tuas faltas para comigo
e as minhas; essa ênfase
de rechaçar por timidez; solidão
de fazer trepadeiras, agasalhos
para velhos, depois para netos;
indulgência de plantar e ver
o crescimento da oliveira do paraíso,
carregada de flores persistentemente
caducas; essa autoridade, irremediável
desafio; e a astúcia
de termos ambos quase a mesma cara.

António Osório, in 'A Ignorância da Morte'
// Consultar versos e eventuais rimas




Outros Poemas de António Osório:

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE