Armando Côrtes-Rodrigues

Portugal
28 Fev 1891 // 14 Out 1971
Escritor/Poeta/Dramaturgo/Cronista

Anoitecer

Ficou o céu descorado…
E a Noite, que se avizinha,
Vem descendo ao povoado,
Como trôpega velhinha.

Para a guiar com cuidado
Veio-lhe ao encontro a Tardinha,
Não fosse a Noite sozinha
Perder-se em caminho errado.

Vão as duas caminhando…
E como o Sol já não arde,
Para o caminho ir mostrando

A primeira estrela brilha…
Então diz a Noite à Tarde:
– Vai-te deitar minha filha.

Armando Côrtes-Rodrigues, in 'Alma Nova'




Outros Poemas de Armando Côrtes-Rodrigues:

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE