Dante Alighieri

Itália
25 Mai 1265 // 13 Set 1321
Poeta

Arrazoar então Sempre de Amor

Quisera, Guido, que tu, Lapo, e eu
fôssemos presa de um encantamento,
e postos num baixel que a qualquer vento
no mar andasse a prazer vosso e meu.

E que nem calma ou tempo como breu
dar nunca nos pudesse impedimento.
E assim que o estarmos juntos fosse o intento
sempre mais alto em nós como um troféu.

E Dona Vana e Dona Lágia, após,
e aquela mais que o contar trinta diz
a nós levasse o bom encantador.

E arrazoar então sempre de amor,
cada uma delas com o seu feliz
tal como eu creio que o seremos nós.

Dante Aligheri, in 'Poesia de 26 Séculos, Jorge de Sena'




Outros Poemas de Dante Alighieri:

Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE