José Carlos Ary dos Santos

Portugal
7 Dez 1937 // 18 Jan 1984
Poeta

Auto-retrato

Poeta é certo mas de cetineta
fulgurante de mais para alguns olhos
bom artesão na arte da proveta
marciso de lombardas e repolhos.

Cozido à portuguesa mais as carnes
suculentas da auto-importância
com toicinho e talento ambas partes
do meu caldo entornado na infância.

Nos olhos uma folha de hortelã
que é verde como a esperança que amanhã
amanheça de vez a desventura.

Poeta de combate disparate
palavrão de machão no escaparate
porém morrendo aos poucos de ternura.

Ary dos Santos, in 'Fotosgrafias'
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Inspirações

Atreve-te

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE