Almeida Garrett

Portugal
4 Fev 1799 // 9 Dez 1854
Escritor/Dramaturgo/Orador

Bela D'Amor

Pois essa luz cintilante
Que brilha no teu semblante
Donde lhe vem o ‘splendor?
Não sentes no peito a chama
Que aos meus suspiros se inflama
E toda reluz de amor?

Pois a celeste fragrância
Que te sentes exalar,
Pois, dize, a ingénua elegância
Com que te vês ondular
Como se baloiça a flor
Na Primavera em verdor,
Dize, dize: a natureza
Pode dar tal gentileza?
Quem ta deu senão amor?

Vê-te a esse espelho, querida,
Ai!, vê-te por tua vida,
E diz se há no céu estrela,
Diz-me se há no prado flor
Que Deus fizesse tão bela
Como te faz meu amor.

Almeida Garrett, in 'Folhas Caídas'
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE