António Osório

Portugal
n. 1 Ago 1933
Escritor/Poeta

Cada Segundo

Não desejo a indigência,
a serenidade
dos lugares desertados:
desejo que cada segundo
quando amo
                         explodisse
e fosse a terra
em sua expansão
durante a primeira noite,
a gestante,
do mundo.

António Osório, in 'O Lugar do Amor'
// Consultar versos e eventuais rimas




Outros Poemas de António Osório:

Facebook

Inspirações

O Foco do Desejo

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE