William Shakespeare

Inglaterra
23 Abr 1564 // 23 Abr 1616
Dramaturgo/Poeta/Actor/Compositor

Comparar-te a um Dia de Verão?

Comparar-te a um dia de verão?
Há mais ternura em ti, ainda assim:
um maio em flor às mãos do furacão,
o foral do verão que chega ao fim.
Por vezes brilha ardendo o olhar do céu;
outras, desfaz-se a compleição doirada,
perde beleza a beleza; e o que perdeu
vai no acaso, na natureza, em nada.
Mas juro-te que o teu humano verão
será eterno; sempre crescerás
indiferente ao tempo na canção;
e, na canção sem morte, viverás:
    Porque o mundo, que vê e que respira,
    te verá respirar na minha lira.

William Shakespeare, in "Sonetos"
Tradução de Carlos de Oliveira
// Consultar versos e eventuais rimas
Pesquisa

Ah, que Olhos Pôs Amor na Minha Cara

Ah, que olhos pôs Amor na minha cara/ mas sem correspondência a fiel vista?/ Ou se a têm, meu juízo onde é que pára/ que em tão falsas censuras inda insista?/ Se é belo o que meus olhos falso adoram/...

A Noite não me Deu nenhum Sossego

Como voltar feliz ao meu trabalho/ se a noite não me deu nenhum sossego?/ A noite, o dia, cartas dum baralho/ sempre trocadas neste jogo cego./ Eles dois, inimigos de mãos dadas,/ me torturam, envolv...

Meus Olhos Vêem Melhor se os Vou Fechando

Meus olhos vêem melhor se os vou fechando./ Viram coisas de dia e foi em vão,/ mas quando durmo, em sonhos te fitando,/ são escura luz que luz na escuridão./ Tu cuja sombra faz a sombra clara,/ como ...
Inspirações
Facebook