Soror Madalena da Glória

Portugal
1672 // 1759

De Amor os Raios Cobrindo

Se por dar lustre aos pesares
Vossas lágrimas teimosas
Correm por margens de rosas,
Porque não cabem nos mares,
A submergir esses ares
Subiam rios crescendo,
E certo o naufrágio sendo,
A fineza deslustrais,
Porque podendo amar mais,
Deixareis de amar morrendo.

Deixai que o mar se dilate,
Que o rio se precipite,
Que o vento se fortifique,
Que em água a nuvem desate,
Sem que vós neste combate
Balas de neve esgrimindo,
Que as estrelas vão ferindo,
De neve e fogo tomeis
As armas com que ofendeis,
De amor os raios cobrindo.

Soro Madalena da Glória, in 'Antologia Poética'




Outros Poemas de Soror Madalena da Glória:

Facebook

Inspirações

O que Conta na Vida

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE