Mais Populares
Uma criança muito suja atira pedras a um cão. O cão / não foge. Esquiva-se e vem até junto da criança/ para lhe lamber o rosto./ / Há, depois, um abraço apertado, de compr...
As folhas já começam a cobrir/ o bosque, mãe, do teu outono puro.../ São tantas as palavras deste amor/ que presas os meus lábios retiveram/ pra colocar na tua face, mãe!.../ / Continuamente o bosque...
Eu aguardei com lágrimas e o vento/ suavizando o meu instinto aberto/ no fumo do cigarro ou na alegria das aves/ o surgimento anónimo/ no grande cais da vida/ ...

Poema
António Salvado António Forte Salvado Portugal
n. 1936 Poeta/Ensaísta
  
  
E o Amor... E o amor é então todo o longínquo
ardor? O à espera eterno e a solidão
que nele nasce e dele vai até
mais não ser que o relembrar anterior?

Ah, mas se o amor fosse tudo em si...
A lágrima e o riso, o verbo e a carne,
se o amor sonhasse na claridade
e sem ela não fosse um maior sonho...

Aí vem a névoa, aí vem o sopro
da vida a levantar o dolorido
princípio sem fim do talvez, do quase...

E o amor é então todo o longínquo
ardor, o eterno à espera e a solidão
que nele nasce e morre, nasce e morre.

António Salvado, in "Recôndito"

Tema(s): Amor  Ler outros poemas de António Forte Salvado 
      Scoop.it

Garantia de Qualidade
O Citador é o maior site de citações, frases, textos e poemas genuínos e devidamente recenseados em língua portuguesa. Desde o ano 2000 que o Citador recolhe counteúdos directamente das fontes bibliográficas, sem recorrer a cópias de outros sites ou contributos duvidosos a partir de terceiros. Tem atenção aos Direitos de Autor.
Pesquisa
Citador em Inglês
© Copyright 2003-2014 Citador - Todos os direitos reservados | webdesign - One Small Step SOBRE O SITE
//