António Osório

Portugal
n. 1 Ago 1933
Escritor/Poeta

Mãe que Levei à Terra

Mãe que levei à terra
como me trouxeste no ventre,
que farei destas tuas artérias?
Que medula, placenta,
que lágrimas unem aos teus
estes ossos? Em que difere
a minha da tua carne?

Mãe que levei à terra
como me acompanhaste à escola,
o que herdei de ti
além de móveis, pó, detritos
da tua e outras casas extintas?
Porque guardavas
o sopro de teus avós?

Mãe que levei à terra
como me trouxeste no ventre,
vejo os teus retratos,
seguro nos teus dezanove anos,
eu não existia, meu Pai já te amava.
Que fizeste do teu sangue,
como foi possível, onde estás?

António Osório, in 'A Ignorância da Morte'
// Consultar versos e eventuais rimas




Outros Poemas de António Osório:

Facebook

Inspirações

Fazer com Alegria

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE