Francisco Manuel de Melo

Portugal
23 Nov 1608 // 24 Ago 1666
Escritor/Político/Militar

Metáfora da Ambição

Vivia aquele Freixo no alto monte,
Verde e robusto: apenas o tocava
O brando vento, apenas o deixava
De abraçar pelos pés aquela fonte.

Tão soberbo despois levanta a fronte,
Como o Pavão, do bosque donde estava,
Envejoso de ver que o mar cortava
Um Pinho que nasceu dele defronte.

Ora saiu da terra e foi navio,
Lutou c'o Mar, lutou c'o vento em guerra:
- Quedas viu ser o que esperava abraços.

Ei-lo que chora em vão seu desvario.
De longe a vê, chegar deseja à terra:
Não lho consente o Mar, nem em pedaços.

Francisco Manuel de Melo, in 'Obras Métricas'




Facebook

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE