Teixeira de Pascoaes

Portugal
8 Nov 1877 // 14 Dez 1952
Poeta

No Seu Tumulo

Sobre o seu frio berço sepulcral,
Meu espirito resa ajoelhado;
E sente-se perfeito e virginal
Na sua dôr divina concentrado.

Caí, gotas de orvalho matinal!
Astros, caí do céu todo estrelado!
Sêcas flôres do zéfiro outomnal,
Vinde enfeitar-lhe o tumulo sagrado!

Ó luar da meia noite, encantamento
De sombra, vem cobri-lo! Ó doido Vento,
Dorme com ele, em paz religiosa...

Sobre ele, ó terra, sê brandura apenas;
Faze-te luz, toma o calor das pennas;
Sê Mãe perfeita, bôa e carinhosa.

Teixeira de Pascoaes, in 'Elegias'
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Inspirações

Desejo sem Limites

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE