Pablo Neruda

Chile
12 Jul 1904 // 23 Set 1973
Poeta [Nobel 1971]

O Oleiro

Há em todo o teu corpo
uma taça ou doçura a mim destinada.

Quando levanto a mão
encontro em cada lugar uma pomba
que andava à minha procura, como
se te houvessem, meu amor, feito de argila
para as minhas mãos de oleiro.

Os teus joelhos, os teus seios,
a tua cintura,
faltam em mim como no côncavo
duma terra sedenta
a que retiraram
uma forma,
e, juntos,

estamos completos como um só rio,
como um só areal.

Pablo Neruda, in "Os Versos do Capitão"
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Inspirações

Um Estranho Ímpar

© Copyright 2003-2019 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE