Alberto da Costa e Silva

Brasil
n. 12 Mai 1931
Poeta/Ensaísta/Diplomata/Historiador

Respiro e Vejo

Respiro e vejo. A noite e cada sol
vão rompendo de mim a todo o instante,
tarde e manhã que são tecido tempo,
chuva e colheita. O céu, repouso e vento.

Vergel de aves. Vou entre viveiros,
a caçar com o olhar, passarinhagem
dos pequeninos sóis e das estrelas
que emigram neste céu de goiabeiras.

mas sigo a jardinagem, podo o tempo,
o desgosto do espaço, a sombra e o fogo,
as florações da luz e da cegueira.

E, no dia, suspensa cachoeira,
neste jogo sagrado, vivo e vejo
o que veio em meus olhos desenhado.

Alberto da Costa e Silva, in 'A Linha da Mão'




Outros Poemas de Alberto da Costa e Silva:

Facebook

.
© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE