António José Forte

Portugal
6 Fev 1931 // 15 Dez 1988
Poeta

Retrato do Artista em Cão Jovem

Com o focinho entre dois olhos muito grandes
por trás de lágrimas maiores
este é de todos o teu melhor retrato
o de cão jovem a que só falta falar
o de cão através da cidade
com uma dor adolescente
de esquina para esquina cada vez maior
latindo docemente a cada lua
voltando o focinho a cada esperança
ainda sem dentes para as piores surpresas
mas avançando a passo firme
ao encontro dos alimentos

aqui estás tal qual
és bem tu o cão jovem que ninguém esperava
o cão de circo para os domingos da família
o cão vadio dos outros dias da semana
o cão de sempre
cada vez que há um cão jovem
neste local da terra

António José Forte, in '40 Noites de Insónia de Fogo de Dentes numa Girándola Implacável e Outros Poemas'




Outros Poemas de António José Forte:

Facebook

© Copyright 2003-2018 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE