Ricardo Reis
(Heterónimo de Fernando Pessoa)

Portugal
n. 19 Set 1887


Sábio é o que se Contenta com o Espetáculo do Mundo

Sábio é o que se contenta com o espetáculo do mundo,
          E ao beber nem recorda
          Que já bebeu na vida,
          Para quem tudo é novo
          E imarcescível sempre.

Coroem-no pâmpanos, ou heras, ou rosas volúteis,
          Ele sabe que a vida
          Passa por ele e tanto
          Corta à flor como a ele
          De Átropos a tesoura.

Mas ele sabe fazer que a cor do vinho esconda isto,
          Que o seu sabor orgíaco
          Apague o gosto às horas,
          Como a uma voz chorando
          O passar das bacantes.

E ele espera, contente quase e bebedor tranquilo,
          E apenas desejando
          Num desejo mal tido
          Que a abominável onda
          O não molhe tão cedo.

Ricardo Reis, in "Odes"
Heterónimo de Fernando Pessoa
// Consultar versos e eventuais rimas
Pesquisa

Põe quanto És no Mínimo que Fazes

Para ser grande, sê inteiro: nada/ Teu exagera ou exclui./ / Sê todo em cada coisa. Põe quanto és/ No mínimo que fazes./ / Assim em cada lago a lua toda/ Brilha, porque ...

Colhe o Dia, porque És Ele

Uns, com os olhos postos no passado,/ Vêem o que não vêem: outros, fitos/ Os mesmos olhos no futuro, vêem/ O que não pode ver-se./ / Por que tão longe ir pôr o que está perto —/ A segurança nossa? Es...

Amo o que Vejo

Amo o que vejo porque deixarei/ Qualquer dia de o ver./ Amo-o também porque é./ / No plácido intervalo em que me sinto,/ Do amar, mais que ser,/ Amo o haver tudo e a mim./ / Melhor me não...
Inspirações

Iluminar a Vida

Facebook