Ricardo Reis
(Heterónimo de Fernando Pessoa)

Portugal
n. 19 Set 1887


Sê Rei de Ti Próprio

Não tenhas nada nas mãos
Nem uma memória na alma,
Que quando te puserem
Nas mãos o óbolo último,
Ao abrirem-te as mãos
Nada te cairá.
Que trono te querem dar
Que Átropos to não tire?
Que louros que não fanem
Nos arbítrios de Minos?
Que horas que te não tornem
Da estatura da sombra
Que serás quando fores
Na noite e ao fim da estrada.
Colhe as flores mas larga-as,
Das mãos mal as olhaste.
Senta-te ao sol. Abdica
E sê rei de ti próprio.

Ricardo Reis, in "Odes"
Heterónimo de Fernando Pessoa
// Consultar versos e eventuais rimas




Facebook

Põe quanto És no Mínimo que Fazes

Para ser grande, sê inteiro: nada/ Teu exagera ou exclui./ / Sê todo em cada coisa. Põe quanto és/ No mínimo que fazes./ / Assim em cada lago a lua toda/ Brilha, porque ...

Amo o que Vejo

Amo o que vejo porque deixarei/ Qualquer dia de o ver./ Amo-o também porque é./ / No plácido intervalo em que me sinto,/ Do amar, mais que ser,/ Amo o haver tudo e a mim./ / Melhor me não...

Colhe o Dia, porque És Ele

Uns, com os olhos postos no passado,/ Vêem o que não vêem: outros, fitos/ Os mesmos olhos no futuro, vêem/ O que não pode ver-se./ / Por que tão longe ir pôr o que está perto —/ A segurança nossa? Es...
Inspirações

Quase Sem o Saber

© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE