66 Poemas

>>

Entre o Sono e Sonho (1)

Entre o sono e sonho,/ Entre mim e o que em mim/ É o quem eu me suponho/ Corre um rio sem fim./ / Passou por outras margens,/ Diversas mais além,/ Naquelas várias viagens/ Que todo o rio tem./ / Cheg...

A Melhor Maneira de Viajar é Sentir (2)

Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir. / Sentir tudo de todas as maneiras. / Sentir tudo excessivamente, / Porque todas as coisas são, em verdade, excessivas / E toda a realidade é um excesso, ...

Põe-me as Mãos nos Ombros... (3)

Põe-me as mãos nos ombros.../ Beija-me na fronte.../ Minha vida é escombros,/ A minha alma insonte./ / Eu não sei por quê,/ Meu desde onde venho,/ Sou o ser que vê,/ E vê tudo estranho./ / Põe a tua ...

Eu (4)

Até agora eu não me conhecia,/ julgava que era Eu e eu não era/ Aquela que em meus versos descrevera/ Tão clara como a fonte e como o dia./ / Mas que eu não era Eu não o sabia/ mesmo que o soubesse, ...

Alma a Sangrar (5)

Quem fez ao sapo o leito carmesim/ De rosas desfolhadas à noitinha?/ E quem vestiu de monja a andorinha,/ E perfumou as sombras do jardim?/ / Quem cinzelou estrelas no jasmim?/ Quem deu esses cabelos...
Charneca em Flor

Feliz Dia para Quem É (6)

Feliz dia para quem é/ O igual do dia,/ E no exterior azul que vê/ Simples confia!/ / Azul do céu faz pena a quem/ Não pode ser/ Na alma um azul do céu também/ Com que viver/ / Ah, e se o verde com q...

Alma Minha Gentil, que te Partiste (7)

Alma minha gentil, que te partiste/ Tão cedo desta vida descontente,/ Repousa lá no Céu eternamente,/ E viva eu cá na terra sempre triste./ / Se lá no assento Etéreo, onde subiste,/ Memória desta vid...

A Minha Alma Partiu-se (8)

A minha alma partiu-se como um vaso vazio. / Caiu pela escada excessivamente abaixo. / Caiu das mãos da criada descuidada. / Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso. / / Asneira? Impo...

Vaga, no Azul Amplo Solta (9)

Vaga, no azul amplo solta,/ Vai uma nuvem errando./ O meu passado não volta./ Não é o que estou chorando./ / O que choro é diferente./ Entra mais na alma da alma./ Mas como, no céu sem gente,/ A nuve...

Espera... (10)

Não me digas adeus, ó sombra amiga,/ Abranda mais o ritmo dos teus passos;/ Sente o perfume da paixão antiga,/ Dos nossos bons e cândidos abraços!/ / Sou a dona dos místicos cansaços,/ A fantástica e...
Charneca em Flor

Os Instantes Superiores da Alma (11)

Os instantes Superiores da Alma/ Acontecem-lhe - na solidão -/ Quando o amigo - e a ocasião Terrena/ Se retiram para muito longe -/ / Ou quando - Ela Própria - subiu/ A um plano tão alto/ Para Reconh...

O Meu Soneto (12)

Em atitudes e em ritmos fleumáticos,/ Erguendo as mãos em gestos recolhidos,/ Todos brocados fúlgidos, hieráticos,/ Em ti andam bailando os meus sentidos.../ / E os meus olhos serenos, enigmáticos/ M...
A Mensageira das Violetas

Tenho Mais Almas que Uma (13)

Vivem em nós inúmeros;/ Se penso ou sinto, ignoro/ Quem é que pensa ou sente./ Sou somente o lugar/ Onde se sente ou pensa./ / Tenho mais almas que uma./ Há mais eus do que eu mesmo./ Existo todavia/...

A Cor da Tua Alma (14)

Enquanto eu te beijo, o seu rumor/ nos dá a árvore, que se agita ao sol de ouro/ que o sol lhe dá ao fugir, fugaz tesouro/ da árvore que é a árvore de meu amor. / / Não é fulgor, não é ardor, não é...

Começa a Ir Ser Dia (15)

Começa a ir ser dia,/ O céu negro começa,/ Numa menor negrura/ Da sua noite escura,/ A Ter uma cor fria/ Onde a negrura cessa./ / Um negro azul-cinzento/ Emerge vagamente/ De onde o oriente dorme/ Se...

Canto dos Espíritos sobre as Águas (16)

A alma do homem/ É como a água:/ Do céu vem,/ Ao céu sobe,/ E de novo tem/ Que descer à terra,/ Em mudança eterna./ / Corre do alto/ Rochedo a pino/ O veio puro,/ Então em belo/ Pó de ondas de névoa/...

Mahler (17)

(A Canção de Deus e Morte)/ / No jardim das almas/ A fala caída./ Como se fosse a canção de/ Deus e Morte./ A canção do cadáver/ Sombrosa e rente./ Uivo. Brechas./ Ululante./ Compassadamente/ O coraç...

Um Poema Que Se Perdeu (18)

Hoje o dia é um dia chuvoso e triste / amortalhado/ Naquela monotonia doente dos grandes dias./ / Hoje o dia.../ (a pena caiu-me das mãos)/ / Acabou-se o poema no papel./ Cá por dentro/ Continua.../ ...

Às Vezes Entre a Tormenta (19)

Às vezes entre a tormenta,/ quando já umedeceu,/ raia uma nesga no céu,/ com que a alma se alimenta./ / E às vezes entre o torpor/ que não é tormenta da alma,/ raia uma espécie de calma/ que não conh...

Sou Lúcido (20)

Cruzou por mim, veio ter comigo, numa rua da Baixa / Aquele homem mal vestido, pedinte por profissão que se lhe vê na cara, / Que simpatiza comigo e eu simpatizo com ele; / E reciprocamente, num gest...
>>

Facebook

Tango do Viúvo

Tive dificuldades na minha vida privada. A doce Josie Bliss foi-se convencendo e apaixonando até adoecer de ciúmes. Se não fosse isso, talvez tivesse continuado indefinidamente ao lado dela. Enternec...

Cidadão do Mundo

De todas as grandes tiradas da História, em boa verdade, aquela que eu mais depressa aprendera a detestar fora essa do «cidadão do mundo», com que a classe média de Lisboa tanto gostava de encher a b...
© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE