41 Poemas

>>

Retrato Ardente (1)

Entre os teus lábios/ é que a loucura acode/ desce à garganta,/ invade a água./ / No teu peito/ é que o pólen do fogo/ se junta à nascente,/ alastra na sombra./ / Nos teus flancos/ é que a fonte come...

O Amor (2)

Estou a amar-te como o frio/ corta os lábios./ / A arrancar a raiz/ ao mais diminuto dos rios./ / A inundar-te de facas,/ de saliva esperma lume./ / Estou a rodear de agulhas/ a boca mais vulnerável/...

Amor - Pois que é Palavra Essencial (3)

Amor — pois que é palavra essencial/ comece esta canção e toda a envolva./ Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,/ reúna alma e desejo, membro de vulva./ / Quem ousará dizer que ele é só alma?/ Qu...

Soneto de amor (4)

Não me peças palavras, nem baladas,/ Nem expressões, nem alma... Abre-me o seio,/ Deixa cair as pálpebras pesadas,/ E entre os seios me apertes sem receio./ / Na tua boca sob a minha, ao meio,/ Nossa...

Obscuro Domínio (5)

Amar-te assim desvelado/ entre barro fresco e ardor./ Sorver o rumor das luzes/ entre os teus lábios fendidos./ / Deslizar pela vertente/ da garganta, ser música/ onde o silêncio aflui/ e se concentr...

Toma-me (6)

Toma-me. A tua boca de linho sobre a minha boca/ Austera. Toma-me AGORA, ANTES/ Antes que a carnadura se desfaça em sangue, antes/ Da morte, amor, da minha morte, toma-me/ Crava a tua mão, respira me...

Para o Sexo a Expirar (7)

Para o sexo a expirar eu me volto, expirante,/ raiz de minha vida, em ti me enredo e afundo./ Amor, amor, amor — o braseiro radiante/ que me dá, pelo orgasmo, a explicação do mundo./ / Pobre carne s...

O Chão é Cama para o Amor Urgente (8)

O chão é cama para o amor urgente,/ amor que não espera ir para a cama./ Sobre tapete ou duro piso, a gente/ compõe de corpo e corpo a húmida trama./ / E para repousar do amor, vamos à cama./ / Ca...

Vertentes (9)

As palavras esperam o sono/ e a música do sangue sobre as pedras corre/ a primeira treva surge/ o primeiro não a primeira quebra/ / A terra em teus braços é grande/ o teu centro desenvolve-se como um...

Sob o Chuveiro Amar (10)

Sob o chuveiro amar, sabão e beijos,/ ou na banheira amar, de água vestidos,/ amor escorregante, foge, prende-se,/ torna a fugir, água nos olhos, bocas,/ dança, navegação, mergulho, chuva,/ essa espu...

O que se Passa na Cama (11)

O que se passa na cama/ é segredo de quem ama./ / É segredo de quem ama/ não conhecer pela rama/ gozo que seja profundo,/ elaborado na terra/ e tão fora deste mundo/ que o corpo, encontrando o corpo/...

A Casada Infiel (12)

Levei-a comigo ao rio,/ pensando que era donzela,/ porém já tinha marido./ Foi na noite de Santiago/ e quase por compromisso./ Os lampiões se apagaram/ e acenderam-se os grilos./ Nas derradeiras esqu...

Tateio (13)

Tateio. A fronte. O braço. O ombro./ O fundo sortilégio da omoplata./ Matéria-menina a tua fronte e eu/ Madurez, ausência nos teus claros/ Guardados./ / Ai, ai de mim. Enquanto caminhas/ Em lúcida al...

As Frágeis Hastes (14)

Não voltarei à fonte dos teus flancos/ ao fogo espesso do verão/ a escorrer infatigável/ dos espelhos, não voltarei./ / Não voltarei ao leito breve/ onde quebrámos uma a uma/ todas as frágeis/ hastes...

A Castidade com que Abria as Coxas (15)

A castidade com que abria as coxas/ e reluzia a sua flora brava./ Na mansuetude das ovelhas mochas,/ e tão estrita, como se alargava./ / Ah, coito, coito, morte de tão vida,/ sepultura na grama, sem ...

Aleluia (16)

Era a mulher — a mulher nua e bela,/ Sem a impostura inútil do vestido/ Era a mulher, cantando ao meu ouvido,/ Como se a luz se resumisse nela.../ Mulher de seios duros e pequenos/ Com uma flor a abr...

Tenta-me de Novo (17)

E por que haverias de querer minha alma/ Na tua cama?/ Disse palavras líquidas, deleitosas, ásperas/ Obscenas, porque era assim que gostávamos./ Mas não menti gozo prazer lascívia/ Nem omiti que a al...

O Sexo (18)

Neste corpo, a densa neblina, quase um hábito,/ lentamente descida, sedimento e sede,/ subtilmente o acalma. Ancora que se desloca,/ movediça e infirme. Só no olhar, além/ / da luz e da cal, se disti...

Saudade do Teu Corpo (19)

Tenho saudades do teu corpo: ouviste/ correr-te toda a carne e toda a alma/ o meu desejo – como um anjo triste/ que enlaça nuvens pela noite calma?.../ / Anda a saudade do teu corpo (sentes?...)/ Sem...

Quando Toda és Terra a Terra (20)

Marga, teu busto tufa,/ Dois gomos e véus de ilhal/ Palpitam palmo de gente/ Nesse tefe-tefe igual/ E há qualquer coisa de ardente/ Que se endireita e que rufa/ Nem tambor a general./ / Marga, teu pe...
>>

Facebook

Um Clímax Duplo

Meu Amor, Hoje vou buscar as minhas pérolas! Vou já à loja de fotografias e terei os instantâneos para ti amanhã à noite. Estou livre amanhã à noite. Onde queres que te encontre? A mulher do Al...

O Matrismo

Acho que não vale a pena a mulher libertar-se para imitar os padrões patristas que nos têm regido até hoje. Ou valerá a pena, no aspecto da realização pessoal, mas não é isso que vem modificar o mund...
© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE