873 Poemas

<< >>

Não Estejas Longe de Mim um Dia que Seja (21)

Não estejas longe de mim um dia que seja, porque,/ porque, não sei dizê-lo, é longo o dia,/ e estarei à tua espera como nas estações/ quando em algum sitio os comboios adormeceram./ / Não te afastes ...

A Vida (22)

É vão o amor, o ódio, ou o desdém;/ Inútil o desejo e o sentimento.../ Lançar um grande amor aos pés d'alguém/ O mesmo é que lançar flores ao vento!/ / Todos somos no mundo Pedro Sem ,/ Uma alegria ...
Livro de Sóror Saudade

Só eu Sinto Bater-lhe o Coração (23)

Dorme a vida a meu lado, mas eu velo./ (Alguém há-de guardar este tesoiro!)/ E, como dorme, afago-lhe o cabelo,/ Que mesmo adormecido é fino e loiro./ / Só eu sinto bater-lhe o coração,/ Vejo que son...

Fanatismo (24)

Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida./ Meus olhos andam cegos de te ver./ Não és sequer razão do meu viver/ Pois que tu és já toda a minha vida!/ / Não vejo nada assim enlouquecida.../ Passo no mund...
Livro de Sóror Saudade

O Amor em Visita (25)

Dai-me uma jovem mulher com sua harpa de sombra/ e seu arbusto de sangue. Com ela/ encantarei a noite./ Dai-me uma folha viva de erva, uma mulher./ Seus ombros beijarei, a pedra pequena/ do sorriso d...

Para o Meu Coração... (26)

Para o meu coração basta o teu peito,/ para a tua liberdade as minhas asas./ Da minha boca chegará até ao céu/ o que dormia sobre a tua alma./ / És em ti a ilusão de cada dia./ Como o orvalho tu cheg...

quando a ternura for a única regra da manhã (27)

um dia, quando a ternura for a única regra da manhã,/ acordarei entre os teus braços. a tua pele será talvez demasiado bela./ e a luz compreenderá a impossível compreensão do amor./ um dia, quando a ...
A Criança em Ruínas

Amei Demais (28)

Madruguei demais. Fumei demais. Foram demais/ todas as coisas que na vida eu emprenhei./ Vejo-as agora grávidas. Redondas. Coisas tais,/ como as tais coisas nas quais nunca pensei./ / Demais foram as...

Agora que Sinto Amor (29)

Agora que sinto amor/ Tenho interesse no que cheira./ Nunca antes me interessou que uma flor tivesse cheiro./ Agora sinto o perfume das flores como se visse uma coisa nova./ Sei bem que elas cheirava...

Terror de Te Amar (30)

Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo/ / Mal de te amar neste lugar de imperfeição/ Onde tudo nos quebra e emudece/ Onde tudo nos mente e nos separa./ / Que nenhuma estrela queime o teu...

Amo o que Vejo (31)

Amo o que vejo porque deixarei/ Qualquer dia de o ver./ Amo-o também porque é./ / No plácido intervalo em que me sinto,/ Do amar, mais que ser,/ Amo o haver tudo e a mim./ / Melhor me não...

Estou Mais Perto de Ti porque Te Amo (32)

Estou mais perto de ti porque te amo./ Os meus beijos nascem já na tua boca./ Não poderei escrever teu nome com palavras./ Tu estás em toda a parte e enlouqueces-me./ / Canto os teus olhos mas não se...

Soneto de Fidelidade (33)

De tudo, ao meu amor serei atento/ Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto/ Que mesmo em face do maior encanto/ Dele se encante mais meu pensamento./ / Quero vivê-lo em cada vão momento/ E em seu lo...

Diz o Meu Nome (34)

Diz o meu nome/ pronuncia-o/ como se as sílabas te queimassem/ [os lábios / sopra-o com a suavidade/ de uma confidência/ para que o escuro apeteça/ para que se desat...
Raiz de Orvalho e Outros Poemas

Falo de Ti às Pedras das Estradas (35)

Falo de ti às pedras das estradas,/ E ao sol que e louro como o teu olhar,/ Falo ao rio, que desdobra a faiscar,/ Vestidos de princesas e de fadas;/ / Falo às gaivotas de asas desdobradas,/ Lembrando...
A Mensageira das Violetas

O Tempo Passa? Não Passa (36)

O tempo passa? Não passa/ no abismo do coração./ Lá dentro, perdura a graça/ do amor, florindo em canção./ / O tempo nos aproxima/ cada vez mais, nos reduz/ a um só verso e uma rima/ de mãos e olhos,...

Urgentemente (37)

É urgente o amor/ É urgente um barco no mar/ / É urgente destruir certas palavras,/ ódio, solidão e crueldade,/ alguns lamentos, muitas espadas./ / É urgente inventar alegria,/ multiplicar os beijos,...

Tu És em Mim Profunda Primavera (38)

O sabor da tua boca e a cor da tua pele,/ pele, boca, fruta minha destes dias velozes,/ diz-me, sempre estiveram contigo/ por anos e viagens e por luas e sóis/ e terra e pranto e chuva e alegria,/ ou...

Pergunta-me (39)

Pergunta-me/ se ainda és o meu fogo/ se acendes ainda/ o minuto de cinza/ se despertas/ a ave magoada/ que se queda/ na árvore do meu sangue/ / Pergunta-me/ se o vento não traz nada/ se o vento tudo ...
Raiz de Orvalho e Outros Poemas

Tenho Fome da Tua Boca (40)

Tenho fome da tua boca, da tua voz, do teu cabelo,/ e ando pelas ruas sem comer, calado,/ não me sustenta o pão, a aurora me desconcerta,/ busco no dia o som líquido dos teus pés./ / Estou faminto do...
<< >>

Facebook

A Cura pelo Tédio

Sempre que fores atingido pelo tédio, deixa-te ser esmagado por este; submerge, bate no fundo. Em geral, com as coisas desagradáveis, a regra é: quanto mais cedo bateres no fundo, mais rápido voltas ...

A Crise

Quando toda a gente anda a dizer que tudo muda e muda mais depressa, o que me impressiona a mim é o pouco que no fundo Portugal mudou. A crise por que agora passamos lembra outras crises da mesma nat...
Inspirações

Amar Produndamente

© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE