21 Poemas

>>

Chove. Há Silêncio (1)

Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva/ Não faz ruído senão com sossego./ Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva/ Do que não sabe, o sentimento é cego./ Chove. Meu ser (quem sou) renego.../ / Tã...

O Dia Deu em Chuvoso (2)

O dia deu em chuvoso. / A manhã, contudo, esteve bastante azul. / O dia deu em chuvoso. / Desde manhã eu estava um pouco triste. / / Antecipação! Tristeza? Coisa nenhuma? / Não sei: já ao acordar est...

Chove. É Dia de Natal (3)

Chove. É dia de Natal./ Lá para o Norte é melhor:/ Há a neve que faz mal,/ E o frio que ainda é pior./ / E toda a gente é contente/ Porque é dia de o ficar./ Chove no Natal presente./ Antes isso que ...

Um Dia de Chuva (4)

Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol./ Ambos existem; cada um como é./ / Alberto Caeiro, in Poemas Inconjuntos / Heterónimo de Fernando Pessoa...

Cai a Chuva Abandonada (5)

Cai a chuva abandonada/ à minha melancolia,/ a melancolia do nada/ que é tudo o que em nós se cria./ / Memória estranha de outrora/ não a sei e está presente./ Em mim por si se demora/ e nada em mim ...

Chuva (6)

Chuva, caindo tão mansa,/ Na paisagem do momento,/ Trazes mais esta lembrança/ De profundo isolamento./ / Chuva, caindo em silêncio/ Na tarde, sem claridade.../ A meu sonhar d'hoje, vence-o/ Uma infi...

Um Poema Que Se Perdeu (7)

Hoje o dia é um dia chuvoso e triste / amortalhado/ Naquela monotonia doente dos grandes dias./ / Hoje o dia.../ (a pena caiu-me das mãos)/ / Acabou-se o poema no papel./ Cá por dentro/ Continua.../ ...

Cai a Chuva no Portal (8)

Cai a chuva no portal, está caindo/ Entre nós e o mundo, essa cortina/ Não a corras, não a rasgues, está caindo/ Fina chuva no portal da nossa vida./ Gotas caem separando-nos do mundo/ Para vivermos ...

Chove ? Nenhuma Chuva Cai... (9)

Chove? Nenhuma chuva cai.../ Então onde é que eu sinto um dia/ Em que ruído da chuva atrai/ A minha inútil agonia ?/ / Onde é que chove, que eu o ouço?/ Onde é que é triste, ó claro céu?/ Eu quero so...

Ilumina-se a Igreja por Dentro da Chuva (10)

Ilumina-se a igreja por dentro da chuva deste dia,/ E cada vela que se acende é mais chuva a bater na vidraça.../ / Alegra-me ouvir a chuva porque ela é o templo estar aceso,/ E as vidraças da igreja...

Poesia Depois da Chuva (11)

A Maria Guiomar/ / Depois da chuva o Sol - a graça./ Oh! a terra molhada iluminada!/ E os regos de água atravessando a praça/ - luz a fluir, num fluir imperceptível quase./ ...

Serenata à Chuva (12)

Chuva, manhã cinza, guarda-chuva./ Entrar no contexto, dois pontos. Ele e ela/ abraçados caminham sob o tecto/ do guarda-chuva que os guarda./ Pelas ruas vão com a vontade de voltar/ ao branco dos le...

Dia de Aguaceiros (13)

Dia de aguaceiros. Sei que os jardins/ não são os de Academos. Mas vou pelos passeios/ entre a escrita das chuvadas no saibro e a discreta/ disposição do Logos na murta dos canteiros./ / Dia de ament...

Meados de Maio (14)

Chuvoso maio!/ / Deste lado oiço gotejar/ sobre as pedras./ Som da cidade .../ Do outro via a chuva no ar./ Perpendicular, fina,/ Tomava cor,/ distinguia-se/ contra o fundo das trepadeiras/ do jardim...

Essa Chuva de Inverno (15)

Essa chuva de inverno, que fluía/ por entre a verde várzea derramada,/ já não flui sua linfa em terra fria,/ que quente está do sal de que é salgada./ Aqui eterna é a chuva, e não se adia,/ e a mudan...

Traço Escuro (16)

Quando os dias sangram/ e a parede branca é conspurcada/ com o carvão das brumas,/ com o arquejar de quem, frágil, flutua/ entre as vides do sol e o langor/ das luas,/ apago as luzes todas e o caminh...

Solidão (17)

Cai chuva, chora./ Chora, chora./ Solidão, solidão!/ / Já não canta o pássaro./ Calou-se a voz, a alegre, a rara./ A que se ouvia solitária./ Cai chuva./ / Não sou freira e estou num convento./ A paz...

Ode a Lídia (18)

Esta súbita chuva que desaba/ pela pele morena/ de teu rosto/ por teu riso por teus ombros/ pelos teus longos/ cabelos/ cai na terra/ — ouve bem —/ / com o peso, o/ doce peso de milé...

O Dilúvio (19)

Há muitos dias já, há já bem longas noites/ que o estalar dos vulcões e o atroar das torrentes/ ribombam com furor, quais rábidos açoites,/ ao crebro rutilar dos coriscos ardentes./ / Pradarias, verg...

Bel (20)

Hálito da terra depois da chuva:/ cálida ternura/ aflorando/ na espessura/ do lábio/ / Teu corpo/ leveza que pesa/ um saber sábio/ secreto/ da Natureza/ / Por isso os bichos te amam/ em suas falas na...
>>

Pesquisa

A Influência dos Livros

Não há dúvida nenhuma: se um leitor não se tem firme nos pés diante de certos livros e de certos autores, acontece-lhe como quando a gente se debruça a uma alta janela e olha com adesão exagerada par...

O Amor é de outro Reino

O amor é de outro reino. (...) Da amizade, do amor, do encontro de duas pessoas que se sentem bem uma ao lado da outra, fazendo amor, falando de amor, trocando amor, conversando de amor, falando de n...
Facebook