6 Poemas



Não Digas Nada! (1)

Não digas nada!/ Nem mesmo a verdade/ Há tanta suavidade em nada se dizer/ E tudo se entender —/ Tudo metade/ De sentir e de ver.../ Não digas nada/ Deixa esquecer/ / Talvez que amanhã/ Em outra pais...

Não: não Digas Nada! (2)

Não: não digas nada!/ Supor o que dirá/ A tua boca velada/ É ouvi-lo já/ / É ouvi-lo melhor/ Do que o dirias./ O que és não vem à flor/ Das frases e dos dias./ / És melhor do que tu./ Não digas nada:...

Dizem? (3)

Dizem?/ Esquecem./ Não dizem?/ Disseram./ / Fazem?/ Fatal./ Não fazem?/ Igual./ / Por quê/ Esperar?/ Tudo é/ Sonhar./ / Fernando Pessoa, in Cancioneiro ...

Fala Também Tu (4)

Fala também tu,/ fala em último lugar,/ diz a tua sentença./ / Fala —/ Mas não separes o Não do Sim./ Dá à tua sentença igualmente o sentido:/ dá-lhe a sombra./ / Dá-lhe sombra bastante,/ dá-lhe tant...

Conveniências de não Usar os Olhos, os Ouvidos e a Língua (5)

CONVENIÊNCIAS DE NÃO USAR OS OLHOS, OS OUVIDOS E A LÍNGUA/ / Ouvir, ver e calar remédio era/ nesse tempo em que os olhos e o ouvido/ e a língua puderam ser sentido/ e não delito que ofender puder...

Linguagem Violenta: a Única (6)

Linguagem violenta: a única./ A outra é: Sedução ou Submissão./ Ou seja, o mesmo medo: recear estar só./ Quando se fala, fala-se. No alto da matéria e do espirito./ / Gonçalo M. Tavares, in Inves...


Facebook

© Copyright 2003-2017 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE