9 Poemas



Os Homens Gloriosos (1)

Sentei-me sem perguntas à beira da terra,/ e ouvi narrarem-se casualmente os que passavam./ Tenho a garganta amarga e os olhos doloridos:/ deixai-me esquecer o tempo,/ inclinar nas mãos a testa desen...

O Capitão Ilustre, e Assinalado, Dom Fernando de Castro (2)

Debaixo desta pedra está metido,/ Das sanguinosas armas descansado,/ O Capitão ilustre, e assinalado,/ Dom Fernando de Castro, e esclarecido./ / Este por todo o Oriente tão metido,/ Este da própria ...

Coroai-me de Rosas (3)

Coroai-me de rosas,/ Coroai-me em verdade,/ De rosas —/ / Rosas que se apagam/ Em fronte a apagar-se/ Tão cedo!/ / Coroai-me de rosas/ E de folhas breves./ E basta./ / Ricardo Reis, in Odes /...

Cegos como as Peças de Ouro Reluzentes (4)

A Fama, a Glória, as Armas, a Nobreza,/ A Ciência, o Poder e tudo quanto/ Em honra e distinção, de canto a canto,/ Encerra deste mundo a vã Grandeza,/ / A Pluto, cego deus, com vil baixeza/ Adoram de...

Não Busco N'esta Vida Glória ou Fama (5)

Não busco n'esta vida glória ou fama:/ Das turbas que me importa o vão ruído?/ Hoje, deus... e amanhã, já esquecido/ Como esquece o clarão de extincta chama!/ / Foco incerto, que a luz já mal derrama...

Trocou Finita Vida por Divina, Infinita e Clara Fama (6)

− Não passes, caminhante! − Quem me chama?/ − Uma memória nova e nunca ouvida,/ De um que trocou finita e humana vida/ Por divina, infinita e clara fama./ / − Quem é que tão g...

Glória (7)

Vive dentro de mim um mundo raro/ Tão vário, tão vibrante, tão profundo/ Que o meu amor indómito e avaro/ O oculto raivoso ao outro mundo/ / E nele vivo audaz, ardentemente,/ Sentindo consumir-se a s...

Que Glória tão Completa (8)

Que glória tão completa não estar nunca/ onde ela sobe da multidão. Que glória/ é ordem alastrando da estrutura/ pela massa de vir a ser a obra/ até que ser em si tanto a institua/ que ser em si seja...

Não me Fales de Glória: é Outro o Altar (9)

Não me fales de glória: é outro o altar/ Onde queimo piedoso o meu incenso,/ E animado de fogo mais intenso,/ De fé mais viva, vou sacrificar./ / A glória! pois que ha n'ela que adorar?/ Fumo, que so...


Facebook

A Recetividade Genuína

A recetividade genuína é uma espécie de inocência preciosa mas não tem de existir à custa de sermos frágeis e vulneráveis. Da mesma maneira, não tem de traçar limites pessoais muito firmes e definido...

Não Há Paz no Mundo

Enchem a boca de paz, e não há tal paz no mundo. E senão, quem há tão cego, que não veja o mesmo hoje em toda a parte? Dizem que há paz nos reinos, e os vassalos não obedecem aos reis: dizem que há p...
© Copyright 2003-2016 Citador - Todos os direitos reservados | SOBRE O SITE